Emanuel Gurgel

 

Tudo começou em novembro de 1990, em Fortaleza, capital do Ceará quando Emanuel Gurgel resolveu criar uma banda que tocasse exclusivamente o forró. Estava nascendo o grupo que mudaria a história do forró, traçando um novo destino para a música nordestina: o Mastruz Com Leite.
A escolha do nome não foi difícil, já que Emanoel, na época, também era esportista e possuía um time de handbool, que se chamava Mastruz com Leite. Tempos depois, o time acabou e a banda herdou o nome, que até hoje causa impacto e curiosidade aos dispostos a provar de seu sabor.
Em sua primeira formação, o Mastruz com Leite era composto por Jean e Marcelo, na bateria; Zé Wilson, na sanfona; Bel, no contra-baixo; e Japinha e Tony Silveira no vocais. Sendo que este último também era guitarrista.
Tony Silveira

 

O repertório de início era composto por alguns forrós conhecidos na época, canções de Teixeirinha, músicas sertanejas, bregas, marchinhas, solos consagrados e até baladas internacionais. Tudo em ritmo de forró. As cinco horas ininterruptas de shows, aos poucos, foram penetrando outras cidades do Ceará, até chegar à cidade de Araripina, alto sertão de Pernambuco. O primeiro espetáculo fora dos limites cearenses.
Como o grupo ainda não havia gravado nenhum disco, a forma de divulgação era feita através de fitas K7, gravadas num estúdio caseiro.
Com o passar do tempo, surgiu a necessidade de uma voz feminina no grupo.Desta forma, Emanuel resolveu realizar um concurso para eleger uma cantora para o Mastruz. Chegava então Kátia Cilene que na época tinha apenas 15 anos de idade.
Três anos depois a banda ganhou mais uma integrante feminina, Bete Nascimento.

 

Kátia Cilene e Bete Nascimento

 

O primeiro sucesso do Mastruz foi a música ” O Rei do Baralho “, que tocou em muitas rádios e serviu como termômetro para a gravação do primeiro disco, o ” Arrocha o Nó “, produzido pela Continental, superando a fase em que gravava seus shows e vendia as fitas. Apesar da excelente vendagem do trabalho estreia, o primeiro Disco de Ouro foi mérito do segundo CD “Só pra xamegar”, gravado nos estúdios da SomZoom, graças ao sucesso “Meu vaqueiro, meu peão”.
Apresentações marcantes ficaram na memória do Mastruz, a exemplo do Canecão, no Rio de Janeiro, em julho de 1994. Na época, o grupo ficou em cartaz, durante dois finais de semana, num dos palcos mais disputados por artistas do primeiro time da música brasileira.
O show tinha troca de cenários, figurinos e foi apresentado para o público carioca, além nordestinos que estavam com saudades da terra natal. Artistas globais também compareceram ao espetáculo. A façanha lhes rendeu uma apresentação no programa do Faustão, na Rede Globo, e ainda uma reportagem na maior revista de informação e entretenimento do país: a revista Veja. O Mastruz com Leite passou, ainda, pelos palcos do Impertator e Matropolitan – hoje, Citibank Hall -, também na capital carioca, além dos extintos Olympia e Palace, em São Paulo.

 

O quarteto que fez história no Mastruz: França, Kátia, Bete e Aduílio

 

As turnês no exterior também ajudaram a solidificar a carreira do Mastruz. Isso porque o Mastruz com Leite foi a primeira banda de forró eletrônico a pisar em solo estrangeiro. Em outubro de 2002, o grupo realizou três apresentações nos EUA. Com a experiência bem-sucedida, em 2003, a turnê internacional se repetiu por duas vezes, dessa vez, nos países de Portugal e Suíça, ambas no continente Europeu.

 

 

Com trinta anos de carreira e quase 50 álbuns lançados, o grupo beira a casa dos 11 milhões de discos vendidos, com um repertório que inclui gravações de grandes nomes da música popular brasileira como: Luiz Gonzaga, Roberto Carlos, Dominguinhos, Trio Nordestino, Jackson do Pandeiro, Peninha, Pinduca e Carlos Santos. O recorde de vendagens, num único trabalho, aconteceu no ano de 1997, quando o Mastruz alcançou a marca de Um milhão e seiscentas mil cópias, com o primeiro CD Ao Vivo.
Gravações áudio-visuais também merecem destaque nessa história repleta de peculiaridades e pioneirismo. O primeiro DVD do grupo, gravado em maio de 2004, em Recife, alcançou a impressionante marca de 100 mil cópias vendidas em apenas um mês de lançamento. O primeiro registro em DVD contou com um público de 60 mil recifenses, que entoaram as canções imortalizadas pelo Mastruz. Não demorou muito e, em maio de 2007, o grupo voltou à Pernambuco, para realizar um segundo registro em DVD. Dessa vez, a cidade escolhida foi a capital do forró, famosa por realizar o maior São João de rua do mundo: Caruaru. Estima-se que mais de 80 mil pessoas compareceram para dançar e cantar os grandes sucessos dos artistas forrozeiros.

 

Formação Atual

 

equipeforromastruzcomleite.blogspot.com/