Foi aberto na noite desta quinta (16), de forma oficial, os trabalhos na Casa João Pessoa de Brito (Câmara municipal de Araçagi), com a presença de quase todos os vereadores, ausência apenas do vereador Beto Mariano, além da presença dos universitários araçagienses que lotaram as dependências da casa.
A primeira sessão do ano teve como pauta principal, o problema dos transportes universitários, tendo o mesmo sido suspenso por tempo indeterminado pelo prefeito Murílio Nunes. Portanto, há alguns dias que os estudantes de ensino superior que precisam se deslocar para as cidades de Mamanguape, Rio Tinto e João Pessoa, vem sofrendo com a essa situação,  muitos pagando do próprio bolso para que não se prejudiquem, inclusive alguns são alunos bolsistas do ProUni ou FIES e que podem perder suas bolsas caso a situação não seja regularizada a tempo.
O prefeito alega que o municípios passa por dificuldades financeiras e não tem condições de pagar por esse serviço. Sobretudo, segundo a própria administração, pesa o fato da nova equipe ter encontrado a frota de transporte totalmente sucateada.
SEC. DE COMUNICAÇÃO
O prefeito Murílio Nunes, não compareceu a sessão, sendo o mesmo representado pelo secretário de comunicação, José Feliciano, que trouxe uma mensagem do prefeito onde afirmava o compromisso para com o município e garantia que faria o possível para melhorar o município como um todo, em seguida a palavra foi facultada a os vereadores que fizeram alguns requerimentos verbais, tendo como destaque o vereador Eduardo Casquinha, que solicitou de forma verbal que o prefeito faça chegar a câmara o pedido de aprovação da lei que torna obrigatório o transporte dos universitários em Araçagi, ainda ao fim de sua fala, foi bastante aplaudido por todos os presentes.
Logo após a fala dos vereadores a palavra foi facultada a representante dos Universitários,  estudante de
ANGILINA PONTES FAZ USO DA TRIBUNA
secretariado executivo, Angilina Pontes, que ao fazer uso da palavra, questionou o secretário de Comunicação, Jose Feliciano, de o porque de não resolver o problema de forma mais fácil, afirmando que os estudantes não querem um ônibus de luxo, apenas um que seja digno, e disse que o que reivindicam  é apenas uma promessa de campanha do Prefeito Murilio Nunes e também algo essencial pois como já havia sido dito alunos podem perder suas bolsas e períodos inteiros por esse problema, bastante emocionada Angilina Ainda afirmou que os universitários representam o futuro do município e que de lá sairá futuros profissionais de diversas áreas, portanto mereciam serem vistos com mais carinho pelo gestor,  e disse que  se esse problema não for solucionado o mais rápido possível os estudantes vão às ruas protestar.
O Secretario também foi questionado pelo Vereador Willian Gonzaga, sobre porque o prefeito ainda não havia dado uma solução para esse entrave e afirmou ” se eu fosse o prefeito esses estudantes não estariam passando por isso”.  O secretário respondeu que  o prefeito apenas quer fazer as coisas da maneira correta, sem botar em risco a vida dos estudantes, dessa forma não colocando um transporte sem condições, e disse que já iniciaram o processo licitatório para a contratação dos ônibus, mas que isso demora alguns dias.
A notícia mesmo sendo relativamente boa, não foi bem aceita pelos estudantes, que afirmam que o que eles menos tem no momento é tempo.
VEREADORA NENA PROPÕE SOLUÇÃO PARA O PROBLEMA
Após ouvir os apelos dos estudantes e a posição da prefeitura, a vereadora Ana Cristina (Nena) (PR), propôs uma solução prática: arcar com os custos do transporte com o salário dos vereadores.
“Vivi minha vida toda com R$ 400,00,  será que nós vereadores não podemos oferecer uma parte de nosso salário superior a R$ 3 mil para ajudar os estudantes”, disse a parlamentar que está em seu primeiro mandato na casa, sendo aplaudida por alguns vereadores e repreendida por outros.
Universitários lotaram as dependências da câmara
Por fim, ficou decidido que se formasse uma comissão de estudantes, juntamente com alguns vereadores para verificarem a que pé está o processo de licitação, com tudo a representante dos universitários, Angilina, mais uma vez foi enfática ao afirmar que se não houver uma solução rápida para esse problema “Araçagi vai parar”, referindo-se que os estudantes vão as ruas protestar contra a falta de transportes.

 

Da Redação com Portal Independente