990
Condenada a 39 anos de prisão por planejar a morte dos pais em 2002, Suzane Von Richthofen foi beneficiada com a saída temporária do Dia das Mães. Ela deixou o presídio de Tremembé, no interior de São Paulo, na manhã desta quarta-feira e ficará seis dias longe da cadeia.
A saída temporária é um benefício previsto na Lei de Execuções Penais a quem cumpre pena em regime semiaberto e depende de autorização judicial. Em São Paulo, segundo a Procuradoria Geral do Estado, o benefício é concedido em cinco datas: Páscoa, Dia das Mães, Dia dos Pais, Finados e Natal/Ano Novo.
Em nota, a Secretaria de Administração Penitenciária do Estado de São Paulo informou que Suzane saiu da ala de regime semiaberto da penitenciária Santa Maria Eufrásia Pelletier na manhã desta quarta-feira por decisão judicial. O retorno, ainda segundo o órgão, está previsto para a próxima terça-feira, dia 10, até as 18h.
As demais detentas de Tremembé beneficiadas com a saída temporária só devem deixar a cadeia na manhã desta quinta-feira. Suzane já havia recebido o benefício na Páscoa, em 11 de março deste ano. Ela retornou à prisão um dia antes do estipulado pela Justiça.
Em abril, Suzane havia conseguido autorização para se matricular no curso de Administração de Empresas em uma faculdade de Taubaté.
Suzane foi condenada por planejar o assassinato de Manfred e Marisia Von Richthofen em 31 de outubro de 2002. O crime foi executado pelo namorado dela, Daniel Cravinhos, e o irmão dele, Cristian. Manfred e Marisia foram golpeados com barras de ferro na cabeça enquanto dormiam em sua mansão no Brooklin, bairro nobre da Zona Sul de São Paulo. Marisia ainda foi asfixiada com uma toalha e um saco plástico.
Fonte: O Globo