ufpbOs servidores técnico-administrativos da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) entram em greve por tempo indeterminado na próxima quinta-feira (28). Já os professores da instituição ainda não decidiram se irão acompanhar o movimento, mas até a quarta-feira (27) terão um posicionamento.

O vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Ensino Superior da Paraíba (Sintespb) da UFPB, Rômulo Batista, informou que haverá uma assembleia no campus de João Pessoa, e, logo após deverá ser deflagrada a greve. Ele garantiu que o funcionamento de serviços como restaurante universitário, bibliotecas e laboratórios serão mantidos.

O Sintespb da UFPB informou que a decisão faz parte do movimento nacional deflagrado em todo país e tem uma pauta unificada dos servidores públicos federal, que pede correção das distorções e reposição das perdas inflacionárias nos salários.

A pauta unificada pede um reajuste de 27,3%; data base para 1º de maio; direito de negociação coletiva; paridade salarial entre ativos e aposentados; retirada dos projetos do congresso nacional que atacam os direitos dos servidores; isonomia salarial e de todos os benefícios entre os poderes; anulação da reforma da Previdência; extinção do fator previdenciário; fim da terceirização; concurso público pelo Regime Jurídico Único; combate  a toda forma de privatização; e aprovação da PEC 555, que extingue a cobrança previdenciária dos aposentados.

Já o presidente do Sindicato dos Professores da UFPB (Adufpb), Jaldes Reis, disse que a categoria realiza até quarta-feira (27), duas assembleias para decidir se acompanhar a decisão dos servidores da universidade.

Na terça-feira, a reunião acontecerá nas subsecretarias da Adufpb nos campi de Bananeiras e Areia. Já na quarta-feira, será a vez dos professores dos campi I (Cidade Universitária e unidade do CCJ em santa Rita), IV (Litoral Norte) e V (CTDR, em Mangabeira) no auditório da Reitoria, a partir das 9h.

De acordo com o presidente da Adufpb, a categoria vai discutir sobre  a proposta do Andes-SN de greve por tempo indeterminado. “A decisão de paralisar as atividades nas universidades federais foi tomada no último fim de semana na reunião do Setor das Ifes do Sindicato Nacional, em Brasília”, disse Reis.

Fonte: Portal do Litoral PB

Com ClickPB