Ney Suassuna mostrou o dedo do meio para a câmera; assessoria afirmou que foi um mal-entendido

Legenda: O senador Ney Suassuna (Republicanos) mostrou o dedo do meio para a câmera, em entrevista ao vivo, enquanto fala sobre o estado de saúde de um senador internado com Covid-19 Foto: Reprodução

O senador da Paraíba Ney Suassuna (Republicanos) fez um gesto obsceno durante uma entrevista ao vivo e gerou polêmica na tarde desta quarta-feira (20). Enquanto falava sobre o estado de saúde do também senador paraibano José Maranhão (MDB), que está internado com Covid-19, Suassuna mostrou o dedo do meio para a câmera. As informações são do portal UOL.

A assessoria de imprensa do senador afirmou que o senador fez o gesto para reclamar da entrada de um assessor na sala onde concedia a entrevista. “Qualquer outra interpretação do vídeo significa uma atitude maliciosa”, disse em nota, classificando o episódio como um mal-entendido.

 

 

Suassuna foi entrevistado ao vivo no Correio Debate, programa sobre política da TV Correio. “Faço minhas preces também para que ele se reanime o mais rápido possível, se recupere e esteja aqui fazendo o papel dele, que é o papel que o povo paraibano o delegou”, disse o senador, antes de mostrar o dedo do meio diretamente para a câmera.

entrevista continuou após o ocorrido, mesmo com o desconforto do entrevistador e do senador. Logo em seguida, Suassuna foi questionado se outros parlamentares também sentiam falta de José Maranhão

MDB repudia ato

MDB, partido de José Maranhão, manifestou repúdio contra o gesto de Suassuna e relacionou o ato a um desrespeito às milhares de vítimas brasileiras que tentam se recuperar da Covid-19 ou não resistiram à doença.

“Decerto deslembrado de que sua imagem estava sendo transmitida ao vivo em áudio e vídeo, proferiu um gesto obsceno com as mãos ao ser indagado sobre o que esperava sobre a recuperação do estado de saúde do senador José Maranhão e se os demais colegas de Senado estavam sentindo sua falta no legislativo em razão do licenciamento para tratamento”, disse a legenda, em nota.

José Maranhão tirou uma licença de 121 dias do Senado Federal em 12 de janeiro, para se tratar da infecção pelo novo coronavírus. Nilda Gondim (MDB) assumiu o cargo interinamente.

https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/