13116088_10154121284757552_6897986915873318795_oSão 15 anos desde o último título mineiro do América-MG. A conquista em 2001 foi sobre o Atlético-MG, mais uma vez o adversário na final do Estadual. E a longa espera está mais perto do que nunca. Uma semana é o tempo que o torcedor americano vai ter de esperar até o próximo duelo, para quem sabe, quebrar o jejum de conquistas dentro do próprio estádio. Com o triunfo por 2 a 1 sobre o rival alvinegro, neste domingo, o América joga pelo empate, no próximo domingo, no Mineirão, para levantar o troféu de campeão.
Título com histórias que somente o futebol é capaz de contar. O herói da tarde foi o lateral esquerdo Danilo, que marcou duas vezes, mas começou o jogo no banco de reservas. O camisa 14 só entrou na partida depois que Tiago Luís passou mal e teve de ser substituído, ainda na etapa inicial. Outra foi do goleiro João Ricardo. Dúvida antes da partida, que chegou a fazer teste no gramado para saber se conseguira jogar. Conseguiu e pegou o pênalti batido por Robinho.
Já o Atlético, para conquistar o quinto título estadual em sete anos, vai precisar de uma nova virada. Algo que conseguiu nas conquistas da Libertadores de 2013 e Copa do Brasil de 2014. Mas antes de pensar no América, certamente o foco alvinegro está no Racing, no jogo de volta das oitavas de final da Libertadores, marcado para quarta-feira, no Independência.
FICHA TÉCNICA
AMÉRICA-MG 2 X 1 ATLÉTICO-MG
AMÉRICA-MG
João Ricardo, Pablo (Artur, aos 40 do 2º), Alison, Sueliton e Bryan; Claudinei, Leandro Guerreiro, Rafael Bastos (Ernandes, aos 32 do 2º), Osman e Tiago Luís (Danilo, aos 18 do 1º); Borges.
Treinador: Givanildo Oliveira.
ATLÉTICO-MG
Victor, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Erazo e Douglas Santos (Carlos César, aos 19 do 2º); Rafael Carioca, Leandro Donizete, Patric (Lucas Pratto, no intervalo) e Hyuri; Robinho e Clayton (Cazares, aos 6 min do 2º).
Treinador: Diego Aguirre.
FASES DO JOGO
  • 1º Tempo Mesmo com apenas um titular de ataque escalado, o Atlético conseguiu chegar mais vezes nos primeiros minutos de jogo. O América não conseguia sair do campo de defesa, mas ao mesmo tempo não tinha a meta defendida por João Ricardo ameaçada. Apesar de a equipe alvinegra entrar na área americana uma dúzia de vezes, o goleiro não teve de fazer uma defesa sequer. Enquanto do outro lado, Victor era bem mais exigido. O goleiro atleticano defendeu as tentativas de Claudinei, Bryan e Osman, mas não conseguiu evitar o gol de Danilo, aos 33 minutos. Mesmo mais posse de bola, o Atlético levou perigo aos 45 minutos, quando Hyuri ganhou uma disputa com João Ricardo e só não marcou por causa do bom posicionamento de Sueliton, que tirou a bola já em cima da linha.
  • 2º Tempo Como faltou alguém para aproveitar as bolas que chegaram na área do América, o técnico Diego Aguirre voltou para o segundo tempo com Lucas Pratto no lugar de Patric. Mas antes que o atacante pudesse tocar na bola, o América marcou o segundo gol, mais uma vez com o lateral esquerdo Danilo, que ainda contou com a sorte, já que a bola desviou em Marcos Rocha. A partir de então o que se viu foi um ataque contra defesa. E finalmente João Ricardo teve de trabalhar. O goleiro do América fez duas boas defesas, ambas em tentativas de Hyuri. Aos 45 minutos a grande chance do Atlético, mas João Ricardo defendeu o pênalti batido por Robinho. A situação só não ficou pior graças ao gol de Lucas Pratto, já aos 48 minutos.
DESTAQUES
  • Homenagem atleticana O volante Leandro Donizete completou 200 partidas pelo Atlético na última quarta-feira, no empate sem gols com o Racing, da Argentina. O jogador foi homenageado pela diretoria do clube. O presidente Daniel Nepomuceno entregou a Donizete uma placa e uma camisa personalizada com o número 200.
  • Na base deu Atlético O domingo foi de dois clássicos entre América e Atlético no Independência. Na preliminar da final do Campeonato Mineiro, as equipes sub-20 de Atlético e América se enfrentaram pelo Estadual da categoria. Com gols de Thalis e Flávio o “Galinho” venceu por 2 a 0, em jogo válido pela 7ª rodada.
  • Tabu ampliado Com o resultado do primeiro jogo da final, o América chegou a cinco clássicos sem perder para o Atlético. A última derrota foi no jogo de ida da semifinal do Mineiro de 2014.
MELHORES
  • Danilo, América-MG O lateral do América foi o grande nome da final. Saiu do banco de reservas para marcar os dois gols americanos e ainda foi muito importante na marcação, quando o Atlético pressionou.
PIORES
  • Clayton, Atlético-MG Contratado junto ao Figueirense como uma grande promessa, o atacante ainda não rendeu o esperado no Atlético. Titulo na final do Mineiro, o camisa 23 mais errou do que acertou enquanto esteve em campo.
Fonte: UOL