eleições-2016-1900x900_cO empresário Renato Cunha Lima disse em entrevista ao Portal WSCOM, nesta terça-feira (10), que o eleitorado de Campina Grande não aceita sob hipótese nenhuma, um acordo político entre o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), seu sobrinho, e o senador José Maranhão (PMDB).

– Esse é um contexto que mostra a contramão da história, porque temos dolorosos e lamentáveis até hoje do mal produzido pelo atual senador para a família e Campina. Água e petróleo não se misturam nunca – frisou.

Na oportunidade, Renato falou que é contra o projeto político do atual prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues.

– É o pior prefeito dos últimos 20 anos. Ninguém sabe em Campina quem administra, é como uma província mesmo, se é ele, a mulher ou o chefe do reinado. Ninguém sabe. Campina Grande tem visto a qualidade das suas obras, querendo mostrar obras que não foram feitas por ele, inibindo ou proibindo que o governo faça algumas operações e, o pior de tudo, que é a grande decepção: que mostre alguma coisa que ele fez – pontuou.

Renato falou que é contra o projeto político do atual prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues
Renato falou que é contra o projeto político do atual prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues

Pré-candidato à vereador em Campina – Renato confirmou sua pré-candidatura a vereador de Campina Grande pelo PSL. Segundo ele, a sua postulação defenderá projetos voltados para melhoria da sociedade campinense envolvendo serviços básicos, a partir do saneamento e da estrutura hídrica.

Como candidato a vereador, ele se apresenta como aliado e eleitor do pré-candidato a prefeito Adriano Galdino (PSB), aguardando apenas uma decisão definitiva das coligações do PSL. O empresário destacou ainda que seguirá a orientação do governador Ricardo Coutinho (PSB) por acreditar no seu estilo de governar.

Relação de Cássio e José Maranhão – Tratada como especulação da boa convivência, a declaração do senador Cássio Cunha Lima, líder do PSDB no Senado Federal, na última segunda-feira (9), em relação a conduta do senador e presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), José Maranhão (PMDB), denotou uma possível aproximação dos dois líderes políticos. Cássio elogiou o colega de bancada, pela postura à frente da CCJ.

– Já estivemos em lados opostos na política da Paraíba, mas eu posso fazer um testemunho sobre essa postura altiva do senador José Maranhão – disse Cássio.

O fato ocorreu na sessão do Senado Federal, quando os parlamentares discutiam decisão da CCJ de aceitar um pedido para que o senador Delcídio Amaral apresentasse novo argumento de defesa ao processo que tramita na Comissão e que pede a cassação e seu mandato. O fato gerou polêmica entre senadores que são contrários e favoráveis a que o colegiado aplique celeridade na decisão.

Fonte: WSCOM