Documentos devem ser encaminhados à CEF, após ser verificado que beneficiários estariam repassando casas e apartamentos de forma irregular.

Seplan recebeu denúncias de que imóveis do conjunto habitacional Major Veneziano, em Campina Grande, estariam sendo vendidos de forma irregular (Foto: Reprodulção/TV Paraíba/Arquivo)

A Secretaria de Planejamento de Campina Grande (Seplan) elaborou cerca de 230 ofícios que pedem a retirada de pessoas das casas e apartamentos de programas habitacionais, como o Major Veneziano, que faz parte do programa ‘Minha Casa, Minha Vida’, do Governo Federal. De acordo com a Seplan, a elaboração destes documentos se deve ao fato de ter sido verificado que alguns beneficiários estariam articulando o repasse desses imóveis de forma irregular.

Conforme as denúncias recebidas pela Seplan, as pessoas estariam anunciando a venda e locação dos imóveis na internet. O secretário da pasta, André Agra, informou que os ofícios feitos pela secretaria devem ser encaminhados para a Caixa Econômica Federal, para que o órgão dê início ao processo de reintegração de posse dos imóveis.

Ainda segundo o secretário, a Seplan está fazendo um trabalho rigoroso de monitoramento das redes sociais, a fim de rastrear pessoas que estejam anunciado o aluguel ou a venda dos imóveis adquiridos por meio dos programas habitacionais.

“Quando recebemos as denúncias, vamos a campo para verificar a veracidade das informações, elaboramos um dossiê e encaminhamos para a Caixa dar entrada no processo de reintegração de posse. Contamos com mecanismos sofisticados de busca para identificar quem está fazendo isso e vamos intensificar esse trabalho, principalmente depois do conjunto Aluízio Campos”, pontuou o secretário.

André Agra alertou que tanto as pessoas que vendem quanto as pessoas que compram os imóveis de forma irregular se prejudicam. “Quem compra vai perder o dinheiro e quem vende perde o imóvel e não terá direito a um novo, além de responder por estelionato”, frisou.

Fonte: G1

CONHEÇA NOSSA EQUIPE DE COLABORADORES