Queimadas_PB-nVem do município de Queimadas, situado na região do Agreste do estado, a pouco mais de 100 quilômetros de João Pessoa, um exemplo de gestão equilibrada e responsável, comprometida desde o seu início, com o respeito e valorização do funcionalismo, bem como à data base salarial de todas as categorias, mesmo diante de crises econômicas e oscilações do repasse de recursos federais.

Essas condições permitiram ao prefeito Jacó Maciel reajustar o piso salarial do professor da rede municipal em 11% acima do piso nacional que, em 2015, foi de 13,01% retroativo a janeiro deste ano. Além de um valor que ultrapassa o piso nacional. Com isso, Queimadas passa a deter o melhor valor pago proporcionalmente aos professores em todo o estado da Paraíba.

Em comparação ao governo do estado e à Capital, a diferença com relação à reajustes salariais é gritante, considerando que na Paraíba, o governo concedeu um aumento de 9% dividido em duas vezes, e em JP o aumento foi de somente 3%, o que fez eclodir uma greve por tempo indeterminado, que culminou no fechamento de 96 escolas e 60 mil alunos fora da sala de aula.

Assim, o piso do professor em Queimadas será de:

 

Titulação

Carga Horária Remuneração
Magistério 40 horas/aula R$ 2.128,72
Magistério 25 horas/aula R$ 1.330,45
Graduado 40 horas/aula R$ 2.860,80
Graduado 25 horas/aula R$ 1.788,00
Espacialização 40 horas/aula R$ 3.844,67
Especialização 25 horas/aula R$ 2.402,92
Mestrado 40 horas/aula R$ 5.166,93
Mestrado 25 horas/aula R$ 3.229,33
Doutorado 40 horas /aula R$ 6.943,89
Doutorado 25 horas/aula R$ 4.339,93

Além da elevação do piso para os professores, Jacó Maciel estará concedendo reajuste para a maioria das categorias do serviço público da administração municipal. Categorias estas, que estão sem receber aumento desde 2004. Sendo 20% para as funções de arquivista, assistente administrativo, auxiliar administrativo, auxiliar de enfermagem, auxiliar de enfermagem – PSF, auxiliar de escritório, auxiliar de secretária, encanador, mecânico, pintor, recepcionista, técnico em laboratório e telefonista, totalizando 88 servidores beneficiados.

Para as funções de agente administrativo, almoxarife, auxiliar de biblioteca, auxiliar de contabilidade, bibliotecário, chefe de tributos, eletricista, escriturário, fiscal de arrecadação, fiscal de tributos, motorista, operador de máquinas pesadas e pedreiro, o reajuste será de 25%, totalizando 60 servidores beneficiados. Para o cargo de nutricionista e psicólogo, devido a perda salarial anterior, será concedido um aumento de 60%. O reajuste também será estendido aos inativos, correspondente às respectivas categorias já citadas.

Outros profissionais da saúde, entre eles médicos, enfermeiros, odontólogos, auxiliar de consultório dentário e técnico de enfermagem – PSF, já foram contemplados com 20% de aumento salarial no início da gestão do Prefeito Jacó Maciel. Segundo o próprio prefeito, esta categoria pode até o final do seu mandato, receber um novo aumento. Ainda na saúde, os Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às endemias tiveram sua gratificação de incentivo financeiro de 35% reintegrada. Tal benefício havia sido retirado na gestão anterior a do Prefeito Jacó.

Os demais servidores que não fazem parte das categorias com os reajustes diferenciados, estarão recebendo o aumento do Salário Mínimo, dado pelo governo federal.  Sendo assim, a gestão de Jacó Maciel, garante ainda no pagamento da folha em janeiro o reajuste do Salário Mínimo que passou para R$ 788,00, representando um aumento de 8,8%.

Jacó destacou o imenso esforço que tem feito para assegurar o reajuste e a valorização do funcionalismo público municipal. Sendo este, o segundo reajuste consecutivo concedido durante o seu mandato. “Nossa política é de valorização e respeito ao servidor público”, destacou.

Fonte: ExpressoPB
Com Assessoria via Blog do Cândido Nóbrega