Você já parou pra pensar que o dia das mães também em concomitância com essa data, também é comemorado o dia dos filhos? Sim! Afinal, para ser filho, alguém teve a decisão de viver uma gravidez e todas as suas consequências. Mesmo que não esteja nos planos, não é para qualquer um esse dom, esta entrega, este fascinante mundo dos filhos. Quando se tem uma mãe, podemos transformá-la em qualquer coisa, principalmente em nossa heroína. Então, para justificar o que é ser mãe, precisamos primeiramente entender o que é ser filho:

Ser filho é ir contra tudo o que ela te aconselha na fase de desenvolvimento e entender acima de tudo em nossa fase de amadurecimento.

Ser filho é levar uma moral de vida, o de orgulhar ela sempre.

Ser filho é ser o estranho, o incomum, o gordinho, o magricelo, o elétrico, o sedentário, e mesmo assim, acima de tudo, ser amado incondicionalmente.

Ser filho é um eterno aceite, sendo à distância, na falta de contato, de afeto e de carinho. Do entender que não tem o que sonhou, mas que ama todas as imperfeições que sua mãe tem.

Ser filho é viver em um mundo regrado, e ela te pedir para ser exatamente o que és, salientando suas peculiaridades como dádivas.

Ser filho é ter uma pessoa que já partiu desta para uma melhor, mas que nunca deixará de ser amada, conviver numa presença que já se foi, mas que pode ser caracterizada pelos seus ensinamentos deixados.

Nesse dia das mães, mostre de uma forma dedicada o que significa ser filho, sempre percebendo que reciprocidade é o ponto ideal que a fará te amar sempre. Afinal, a reciprocidade de ser filho é a mesma equivalência de ser mãe. Ambos são entendimento, superação e oportunidade de aumentar esse sentimento através do amor.

Então, seja filho! Ela só sentirá isso se você demonstrar que este poder vêm de ambos: tanto o de mãe quanto o de filho.

Feliz dia das mães! Como também, dos filhos!

Jefferson Procópio – Bacharelado em Direito com extensão em Ciência Política

Da Redação/Portal Araçagi

CONHEÇA NOSSA EQUIPE DE COLABORADORES