A febre Chikungunya é uma arbovirose causada por um alfavírus, o vírus Chikungunya, e tem como principais manifestações clinicas a febre e as dores articulares (que podem ser acompanhadas de edema), tendo como consequência a redução na produtividade e na qualidade de vida. A doença pode evoluir em até três fases: aguda, subaguda e crônica. Após o período de incubação, inicia-se a fase aguda que é acompanhada de febre e muitas dores articulares, com duração média de 14 dias. Alguns pacientes permanecem com dores persistente nas articulações, o que caracteriza a fase subaguda (duração até 3 meses), e quando ultrapassa o terceiro mês o paciente atinge a fase crônica.

A dor articular é normalmente bilateral e simétrica, mas pode ser também assimétrica, acometendo grandes e pequenas articulações, principalmente as mais distais (como mãos e tornozelos). Não são todos os pacientes que passam para a fase crônica. A literatura aponta como fatores de risco para a cronificação: idade acima dos 45 anos, desordem articular preexistente e maior intensidade de lesões na fase aguda. Durante o estágio agudo, o uso do gelo é importante para redução do edema e da dor, além de ser indicado ao paciente a realização de movimentos leves, sendo contraindicado exercícios que exija força. Passando para a fase subaguda, os exercícios isométricos e ativos já são recomendados.

Aos pacientes que permanecerem com dores após os 3 meses, é importante que eles procurem tratamento com o reumatologista e o fisioterapeuta. A atuação maior do fisioterapeuta é na fase subaguda e na crônica. Na fase crônica, os exercícios resistidos já são recomendados, mas de forma gradativa, sendo necessário uma avaliação criteriosa para avaliar o tipo da dor, amplitude de movimento, força muscular e qualidade do movimento. Quando o paciente receber alta, ele deverá ser encaminhado para uma academia ou a um estúdio de pilates, com o intuito de continuar trabalhando o fortalecimento da musculatura

Escritos de Crislane Louíse de Freitas Balbino, Fisioterapeuta formada pela UEPB, pós-graduação em fisioterapia traumato-ortopédica, funcional e esportiva, formações voltadas para a coluna vertebral, membros inferiores e esportes, pilates e pos-graduanda em quiropraxia.
CONHEÇA NOSSA EQUIPE DE COLABORADORES