Não sei vocês, se pararam pra perceber, mas no meu ponto de vista, ou melhor dizendo, no meu rol de amigos nas redes sociais, esse 10/05/2020 foi menos sangrento e temeroso que os dias/meses anteriores, em se falando da carnificina causada pela COVID-19.

Não é que os números pararam de crescer, que alguém não tenha deixado de perder um amigo, parente, vizinho, quem sabe uma mãe, dentre as quase 500 vítimas registradas nas últimas 24h em “nosso” país. Ou seja, houveram lágrimas, pode estar havendo agora, quando faço uso do meu notebook para esse texto enfim; infelizmente as percas não deixaram de ocorrer e, amanhã, provavelmente e de forma muito triste teremos muitas outras.

Apesar desses dias difíceis, do peso no coração e a incerteza do futuro, hoje foi diferente. Diferente, inclusive, para aquele(a) que por força da natureza não tem o privilégio de ter mais sua mamãe ao seu lado. Até pra essas pessoas, que esse tipo de data comemorativa (Dia das Mães), causa um embrulho no estômago e um dia de reflexão e saudades, foi possível resgatar uma lembrança da infância e esboçar um sorriso que representa uma espécie de saudades menos dolorida, apesar de sempre muito sentida.

Só a força do AMOR é capaz de práticas e transformações tão profundas no ser humano.

Mesmo que tenha sido por apenas 1 dia, este 10/05/2020, conseguiu romper com esse luto diário que o Brasil e o mundo, de forma muito especial nossa amada Paraíba, tem sofrido constantemente.

Quantas homenagens, poemas, abraços, sorrisos, agradecimentos, lembranças, boas lembranças, mesas fartas, famílias reunidas, gerações que se entrecruzam, filhos, netos, bisnetos, sonhos, planos, futuro enfim.

Talvez eu esteja exagerando, e confesso que por vezes sou, mas hoje o AMOR conseguiu uma vitória simbólica, importante diante de todo terror, inclusive psicológico causado pela COVID-19. Não sou eu quem estou dizendo, foram os sorrisos e as lágrimas, de felicidade, diga-se de passagem. Esses, sim, tem autonomia para vencer todos os obstáculos e decidirem o melhor que o momento requer. Já sobre o amanhã, esse, como dizem os mais sábios, a DEUS pertence. Porém, de nossa parte, podemos fazer mais, inclusive, mais dias como esse dia das Mães.

Não poupem os bons sentimentos, não permitam que a poeira se acomode sobre a compaixão e a esperança até o calendário vos dizer qual será a próxima importante data a ser comemorada.

Apesar de usar as redes sociais como termômetro para esse simples texto, tenho consciência de um todo que está além de meu alcance, fugindo de minha capacidade de leitura. Entretanto, apesar dos pesares, acredito que podemos observar as redes sociais com um dos espaços possíveis de produção e reprodução de afetos.

Façamos sempre, façamos mais, pois a força do AMOR, apesar de ser uma palavra bastante propagada, é uma ferramenta de poder ainda desconhecido para muitas pessoas.

Carlos SilvaGraduado em História pela Universidade Estadual da Paraíba, idealizador do site outrasvozes.net, colaborador e integrante da equipe de Colunistas do Portal Aracagi. 

Instagram: @carlossilva.pb

Da Redação / Portal Aracagi