Screenshot_2016-02-05-16-23-32-1
O tenente Ulisses foi atingido nas costas por disparos de arma de fogo (Foto: Divulgação)
Um dos suspeitos de ter atirado no sargento Ulisses Costa é o filho do sargento preso durante a ação policial no conjunto Cidade Verde, em Mangabeira.
A Polícia Civil investiga se a munição que matou o tenente Ulisses Costa, do 5º Batalhão de Polícia Militar, na noite desta quinta-feira (4), saiu da arma de um sargento da Polícia Militar, preso por posse ilegal de armas restritas, durante a ação de ontem. O tenente Ulisses foi atingido nas costas por disparos de arma de fogo, quando participava de uma ação no conjunto Cidade Verde, no bairro de Mangabeira, na localidade conhecida como Aratu, combatendo o tráfico de drogas. De acordo com informações da PM, os suspeitos de atirar no sargento Ulisses Costa estariam dentro da casa do sargento, que foi preso na noite de ontem, e um deles é o próprio filho do sargento, cujo nome ainda não foi informado pela polícia.
A PM divulgou em nota que quatro suspeitos foram presos, e que continuam investigando as circunstâncias do crime, segundo informou o superintendente da 1ª Regional de Polícia Civil da Paraíba, delegado Marcos Paulo dos Anjos Vilela. Vilela confirmou que o sargento continua preso. Três armas foram encontradas dentro da sua casa, além de dois carregadores de munição. Segundo o delegado, não foi o sargento que atirou.
Na noite desta quinta-feira, o tenente Ulisses Costa trabalhava junto com outros militares do Serviço de Inteligência, realizando levantamento geográfico do local, inclusive sem coletes balísticos, quando os policiais foram pegos de surpresa com disparos de arma de fogo.
O policial militar chegou a ser socorrido para o Ortotrauma de Mangabeira e atendido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.
Via – Click PB