mosquinto-da-dengueA Paraíba teve 11 casos confirmados de contaminação pelo Zika Vírus. A informação é da Secretaria de Saúde do Estado que está realizando, desde o mês de fevereiro, o acompanhamento da situação epidemiológica do aumento de pessoas que procuram os serviços de saúde com sinais e sintomas diferentes das formas de dengue e outras doenças de notificação compulsória padronizadas pelo Ministério da Saúde. Em parceria com a Secretaria de Saúde de João Pessoa e Ministério da Saúde foi realizada investigação desses “exantemas a esclarecer”.

Depois de enviar 20 amostras para análise no Instituto Evandro Chagas-Pará, foi recebeu em 30 de junho de 2015 alguns dos resultados. Dos 15 resultados recebidos, 11 foram confirmados no município de João Pessoa, o que reafirma a circulação da doença no Estado da Paraíba. S

Sobre a descrição dos casos confirmados destaca-se que 45,5% foram do sexo masculino e 54,5% feminino; e com seguinte histórico de sintomas: 100% sem febre, 100% com dores nas articulações, 90,9% com coceira (10 casos), 90,9% dores musculares (10 casos), 81,8% (9 casos) fraqueza, 63,6% edema nas articulações (7 casos), 63,6% dor de cabeça (7 casos), 54,5% (6 casos) dor “atrás dos olhos”, 36,4% (4 casos) diarreia, 27,3 % (3 casos) dor de garganta, 27,3 % (3 casos) linfadenopatia, 27,3% (3 casos) náusea, 18,2% (2 casos) tosse, 9,1% (1 caso) vômitos, 9,1% (1 caso) coriza e 9,1% (1 caso) vermelhidão nos olhos.

A febre por vírus Zika é descrita como uma doença febril aguda, autolimitada, com duração de 3 a 7 dias, geralmente sem complicações graves e não há registro de mortes. A taxa de hospitalização é potencialmente baixa.

Segundo a literatura, mais de 80% das pessoas infectadas não desenvolvem manifestações clínicas, porém quando presentes a doença se caracteriza pelo surgimento de erupções avermelhadas na pele (exantema maculopapular pruriginoso), febre intermitente, hiperemia conjuntival não purulenta e sem prurido, dores nas articulações, dor muscular e dor de cabeça e menos frequentemente, edema, dor de garganta, tosse, vômitos e hematospermia (presença de sangue no esperma ejaculado).

Autor: Renata Nunes

Com tambau247