O Administrador Diocesano de Campina Grande, Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz, surpreendeu na tarde desta Sexta Feira Santa (14), durante a Celebração da Paixão do Senhor, na Catedral Diocesana de Nossa Senhora da Conceição.

Ele deixou um pouco de lado o tom ameno que sempre caracterizou suas homilias e, ao comentar sobre o Evangelho da Paixão de Cristo, chamou a atenção dos fiéis que lotaram a Catedral para o atual momento político porque passa o Brasil.

Dom Delson começou falando sobre a traição de Judas Iscariotes a Jesus e disse que quando um amigo trai, essa traição acaba se tornando uma grande decepção. Foi quando ele comparou a traição de Judas ao que o País assiste, atualmente, no cenário político nacional.

O Bispo disse que os políticos corruptos, que estão virando notícia com as últimas denúncias e escândalos de corrupção veiculados na mídia, são iguais a Judas. “São traidores da confiança do povo que, de bom coração, os escolhe como representantes, mas eles se tornaram iguais a Judas”.

Dom Delson afirmou que já teve a oportunidade de viajar por vários países, até mesmo mais pobres que o Brasil, mas são nações que tem um grau maior de desenvolvimento, pois não tem uma corrupção tão grande como a que vemos atualmente no Brasil.

Compra de Voto – O Administrador Diocesano também chamou a atenção para a responsabilidade de cada cidadão que, na época da eleição, escolhe seus representantes. Segundo ele, ao vender o voto ou trocá-lo por sandálias, cestas básicas ou outros itens de valor, o eleitor está colaborando para que políticos corruptos assumam o poder.

Para Dom Manoel Delson, vender o voto é considerado um “pecado”, pois o ato traz consequências negativas e danosas para todos. Ele chamou a atenção e disse que quem já vendeu o voto deveria se reconciliar consigo mesmo e se penitenciar do pecado cometido.

O Bispo também declarou que a Igreja Católica sempre alerta os fiéis para os prejuízos de vender o voto e fazer escolhas erradas, mas que a cada eleição estes fatos acabam se repetindo. “Tenho 63 anos e desde os 18 frequento a igreja e sempre vejo a igreja fazendo esse alerta, mas o povo continua escolhendo errado seus representantes”.

O Bispo finalizou afirmando que a traição de Judas foi uma grande decepção, assim como a traição dos políticos aos eleitores também significa um ato de extrema traição. Ato este que vai de encontro ao amor pregado por Jesus. 

“Quem ama, verdadeiramente, não trai”, bradou o Bispo.

Fonte: Portal Carlos Magno

CONHEÇA NOSSA EQUIPE DE COLABORADORES