jucelio_alves_estrela_umDiante de tantas notícias pejorativas divulgadas nesta semana no município de Sousa, finalmente uma que nos trás orgulho e motivação para continuarmos honestos em todos os nossos negócios e projetos.

O exemplo de honestidade vem do mototaxista, Jucélio Alves Estrela, 48 anos, morador do Conjunto Habitacional, Lagoa dos Patos.

O cidadão trabalha há muito tempo no Terminal Rodoviário, sempre de 3h da manhã às 13h de segunda a segunda para ganhar o pão de cada dia para colocar na mesa de sua família.

No dia 12 de janeiro de 2015, a senhora Raimunda Pereira da Silva, 69 anos, aposentada, moradora do Bairro da Estação (Beco do Capão) se dirigiu a um guichê de uma Empresa de ônibus para saber o horário exato para viajar até Natal/RN.

Ao receber a notícia que o horário era mais tarde, aposentada após retirar a passagem da bolsa, a esqueceu ali mesmo e foi embora.

No interior da bolsa estavam: joias, cordão de ouro, pingentes, celular, certa importância em direito, além dos documentos pessoais, cujo valor passava dos R$ 3 mil reais.

Como de sempre, no ponto de mototaxi se encontrava o senhor, Jucélio Alves Estrela, 48 anos que ao ver a bolsa abandonada, se aproximou, e, a guardou.

Horas depois, a aposentada sentiu falta dos seus pertences e voltou a procurar no local aonde deixou sua bolsa, porém com aquela sensação que não mais a encontraria, ficando no prejuízo total.

Para a surpresa de Dona Raimunda Pereira da Silva, ao chegar ao Terminal Rodoviário em Sousa começou a procurar sua bolsa, quando aquele homem de gesto simples, se aproximou dela, e com a bolsa de lado, perguntou se era dela. Dona Raimunda emocionada disse: é sim.

Ao verificar seus pertences estavam todos, igualmente quando deixados. O neto de Dona Raimunda, perguntou ao Mototaxista, quanto ele devia, o senhor, Jucélio Alves Estrela, respondeu: “não me devem nada”, até rejeitou receber uma importância de R$ 50 reais como gratificação pela tamanha honestidade.

Aquele ato deixou muita gente que trabalha no Terminal Rodoviário em Sousa admirado. Em tempos modernos, no mínimo, as joias e o dinheiro não seriam mais entregues. Devolveriam apenas os documentos, até por que ninguém iria saber quem de fato encontrou a bolsa abandonada em um local de grande movimentação.

O exemplo do Mototaxista, Jucélio Alves Estrela demostra que mesmo em tempos adversos, sombrios, existe gente honesta, trabalhadora, que busca apenas o que é seu. O Mototaxista trabalha todos dias, cujo valor da corrida é R$ 3 reais. No fim do dia, algo em torno de R$ 30 reais de apurado fica no seu bolso para sustentar toda a família.

Essa foi uma maneira que a Família de Dona Raimunda encontrou através do Portal de homenagear atitude do mototaxista, Jucélio Alves Estrela.

Parabéns seu Jucélio Alves Estrela. É com seu exemplo que motiva muitos a praticar essa qualidade escassa nos dias atuais. Fica a dica!

Fonte: Portal do Litoral PB Com Folha do Sertão