Morreu aos 91 anos, em Leeds, o sociólogo contemporâneo Zygmunt Bauman, informou o site “Wyborcza”, da Polônia.

Um dos grandes pensadores da modernidade, é autor de livros como Amor Líquido, Modernidade e Holocausto, Identidade e Europa.

Crítico das redes sociais, Bauman disse em entrevista ao El País, há exatamente um ano, que elas “não ensinam a dialogar porque é muito fácil evitar a controvérsia… Muita gente as usa não para unir, não para ampliar seus horizontes, mas ao contrário, para se fechar no que eu chamo de zonas de conforto, onde o único som que escutam é o eco de suas próprias vozes”.

Nascido em Poznan, na Polônia, o sociólogo se formou na antiga União Soviética e acabou perseguido, principalmente pelo fato de ser judeu.

Fonte: ReporterPB