imagesA Polícia Civil de Minas Gerais investiga denúncia de um suposto estupro que teria sido praticado contra uma adolescente de 14 anos, portadora de paralisia cerebral grave, dentro do Hospital Infantil João Paulo 2º, localizado em Belo Horizonte. A unidade hospitalar é pública e referência no atendimento pediátrico da capital mineira e do Estado.

A médica responsável pelo atendimento à jovem havia notado indícios de que ela poderia ter sido vítima de abuso sexual e alertou a direção do hospital.

De acordo com a assessoria da corporação, o caso ocorreu no mês passado, mas a delegada Isabela Franca, da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), restringiu a divulgação de informações sobre o assunto para, segundo ela, não atrapalhar as investigações. A adolescente está internada no hospital desde novembro de 2014, em razão de uma insuficiência respiratória.

A responsável pelo inquérito disse ter dado prioridade ao caso e informou ter interrogado 20 pessoas. Exames periciais para apontar se a adolescente foi vítima de estupro ou outro tipo de abuso sexual, deverão ficar prontos antes do prazo previsto, de 30 dias.

Segundo nota da Fhemig (Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais), responsável pelo hospital, a adolescente foi encaminhada para uma avaliação médica especializada, e a mãe da garota foi notificada pela direção. A nota não trouxe informações sobre o resultado da avaliação médica feita pelo hospital, mas diz que o caso foi registrado na delegacia.

A nota informa ainda que os responsáveis pelo hospital acompanham as investigações e prestam todas as informações necessárias. O boletim também afirma que o Conselho Tutelar de Belo Horizonte foi acionado para acompanhar o caso.

Via – UOL