20150514211602777rtsO grave incidente que provocou a suspensão do clássico contra o River Plate, em La Bombonera, pelas oitavas de final da Copa Libertadores, vai custar caro para o Boca Juniors. Segundo o jornalista argentino Sebastián Tabakman, do programa “Sportia”, do canal argentino “TyC Sports”, a Conmebol decidiu por excluir o time da competição, após uma reunião que aconteceu na sede da entidade, em Assunção, no Paraguai, na manhã desta sexta-feira. O anúncio irá acontecer somente no sábado, às 19h no horário local (20h de Brasília).

Conforme informações do repórter, a Conmebol foi obrigada a tomar a decisão por sofrer pressão política. O Tribunal de Disciplina da entidade estava firme na decisão de não remarcar a continuação da partida, que foi interrompida antes do início do segundo tempo após parte da torcida jogar spray de pimenta nos jogadores do River Plate.

Além da eliminação, o Boca Juniors sofrerá uma sanção de dois anos sem mandar seus jogos em competições internacionais na Bombonera, fora uma multa, que não teve o valor divulgado pelo repórter Sebastián Tabakman.

A confusão aconteceu no túnel de acesso ao campo, quando o River retornava ao gramado. Vanglioni, Funes Mori e Ponzio foram os mais atingidos e sofreram queimaduras de primeiro grau nas costas. Outros atletas ficaram com os rostos vermelhos e sofreram com o cheiro e a ardência do gás. A partida ficou paralisada por duas horas até ser suspensa pelo delegado do jogo.

A Bombonera foi inspecionada na manhã desta sexta-feira por uma fiscal da Conmebol e pela polícia federal. O promotor Martín Ocampo pediu que o estádio fosse fechado para preservar as provas dos incidentes.

– A Bombonera está fechada. Não posso dizer que os controles falharam, porque é preciso investigar. Neste momento, o campo do Boca está fechado. As camisas do River foram coletadas para saber se há gás de pimenta nelas – afirmou O campo.

Fonte: Globo Esporte