O Juiz do Tribunal de Justiça do Rio Guilherme Schilling Pollo Duarte aceitou pedido do Ministério Público estadual e determinou, em decisão liminar nesta sexta-feira (17), que as partidas de futebol entre os quatro times do Rio (Vasco, Fluminense, Flamengo e Botafogo) passem a ser realizadas com torcida única. O juiz também manteve a multa por descumprimento em R$ 30 mil diários.
“Defiro a liminar pleiteada para determinar que os réus, incontinenti, se abstenham de comercializar ingressos para a torcida adversária do clube que tenha comando de jogo nos clássicos regionais, sendo autorizada a comercialização de ingressos apenas para a torcida do time mandante do jogo”, escreveu o juiz. Os réus ainda podem recorrer da decisão.
O despacho ocorre dias depois do clássico entre Botafogo e Flamengo, no domingo (12), quando um homem morreu e sete pessoas ficaram feridas numa briga envolvendo torcedores antes da partida no entorno do Estádio Nilton Santos, o Engenhão. Nem mesmo o policiamento reforçado foi suficiente para impedir os atos de violência.
Ainda na decisão, o juiz Schilling Pollo Duarte afirmou que as informações de casos de violência levadas ao juízo pelo MP são alarmantes, e cita diversas matérias jornalísticas que mostram os indicadores de ocorrências durante partidas de futebol no Brasil.
O magistrado cita, ainda, que embora os clubes tenham prometido não dar mais ingressos a torcidas organizadas, “fontes da Polícia Militar e da Justiça do Rio garantem que a realidade é outra: prosseguem as facilidades para a compra ou doação de bilhetes para as facções organizadas”.
Mando de campo é incógnita – Em nota, a Federação de Futebol do Rio informou que vai cumprir a decisão, mas não esclareceu como será determinado o mando de campo das semifinais da Taça Guanabara, que ocorrerá no sábado de carnaval.
A assessoria do Flamengo informou que o clube é totalmente contra a decisão judicial e avalia que a determinação não resolve o problema da violência. Em nota, informou que defende punições mais rigorosas aos criminosos. Já o Botafogo informou que é favorável a experiências que melhorem as condições de segurança, mas não concorda que os clubes sejam apontados como réus na ação.
O Fluminense se posicionou contrário e disse esperar que a decisão não seja definitiva. No entendimento do clube, “o verdadeiro torcedor é quem sai perdendo”. “Inaceitável”, foi o posicionamento do Vasco. O clube avalia que a decisão não resolverá o problema da violência.
A Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude informou que vai recorrer da decisão.
 Via – G1