O presidente do PMDB na Paraíba, senador José Maranhão, é contrário à realização de eleições diretas no país, para que não haja descumprimento à Constituição Federal, disse Maranhão nesta terça-feira (23). 

Maranhão ressaltou que é preciso prudência para que não haja injustiça, por isso é preciso aguardar o resultado da investigação sobre as denúncias que pesam sobre o presidente Michel Temer. 

O senador lembrou que a gravação exibida à imprensa está sendo contestada pelo próprio Palácio do Planalto.  

Maranhão reforçou a ordem sucessória prevista na Constituição. A Constituição prevê, em tese, que no afastamento do presidente e do vice-presidente, assume o presidente da Câmara. No caso de impedimento do presidente da Câmara, assume o presidente do Senado, e em seguida, seria convocada a eleição direta. “Este é o rito que nós temos que seguir”, afirmou José Maranhão.  

Para o presidente do PMDB da Paraíba, o Congresso deveria dar continuidade às reformas, uma vez que a crise nacional é política e também moral, mas não há problemas nas reformas. 

Por meio da assessoria, o senador Maranhão também esclareceu sobre as doações eleitorais feitas pela JBS para sua campanha em 2014. Em nota, a assessoria explicou que todo e qualquer recurso recebido pelo senador para a campanha política de 2014 foi a partir de repasses feitos pelo PMDB Nacional ao PMDB Estadual. 

As doações foram declaradas à Justiça Eleitoral seguindo rigorosamente o que determina a legislação em vigor. E foram aprovadas pelo Tribunal Regional Eleitoral. Os questionamentos ora apresentados em investigações do Ministério Público e/ou Polícia Federal referem-se a recursos não declarados ou recebidos via caixa 2, o que não se aplica ao senador José Maranhão“. 

Fonte: ClickPB

CONHEÇA NOSSA EQUIPE DE COLABORADORES