93758_ext_arquivoPesquisa apontou ainda que Santa Rita lidera ranking dos 100 municípios com mais de 50 mil habitantes com as maiores taxas de morte jovens negros.

Levantamento do Mapa da Violência 2015 apontou que João Pessoa é a segunda Capital brasileira onde mais morre jovens, ficando atrás apenas de Maceió. Os dados foram coletados com base em 2012 e divulgados nesta quinta-feira (14). A pesquisa apontou ainda que Santa Rita lidera ranking dos 100 municípios com mais de 50 mil habitantes com as maiores taxas de morte jovens negros.

Conforme o levantamento com dados oficiais de 2012, mais de 42 mil pessoas foram vítimas de armas de fogo no Brasil – uma média de 116 mortes/dia –, das quais 94,5% (40.077) foram resultado de homicídios.

De acordo com o sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, autor do relatório, trata-se do maior número de vítimas e de assassinatos registrados pela série histórica do Mapa da Violência, que começou a reunir os dados em 1980.

A secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki, reconheceu que o país enfrenta um quadro “desesperador” em relação ao número de mortes por armas de fogo e homicídio. “O problema existe, está colocado, não há contestação [por parte do governo federal]. É uma coisa que o governo já vem apontando há tempo, razão pela qual decidamos trabalhar, junto com os governos dos estados, em um pacto para redução dos homicídios”, disse Regina.

Ela também criticou a possibilidade de flexibilização do Estatuto do Desarmamento, ressaltando que as armas de fogo têm como única finalidade provocar morte. “A arma que mais mata no Brasil não é aquela que vem de fora, mas é a fabricada no Brasil. Os dados mostram que 85% das mortes por arma de fogo no país são com [revólver de calibre] 38 fabricado no país. Ou seja, nós mesmos somos aqueles que fabricamos, desviamos o caminho dessas armas. Temos que mudar isso.”

Portal Correio