Screenshot_2016-01-29-17-30-11-1Além da venda de produtos proibidos, de acordo com a promotora de Justiça Priscylla Maroja, outros fatores contribuíram para a interdição.
A Drogaria do Extra estava comercializando o medicamento Livalo 2 mg, cuja venda está proibida (Foto: Divulgação)
Duas farmácias foram interditadas hoje (29) na Capital. A Drogaria Extra e a Farmácia Fácil – Rick Center, situadas na Avenida Epitácio Pessoa, foram penalizadas pelo Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério Público (MP-Procon), por estarem comercializando remédios proibidos e sem farmacêutico de plantão.
Além da venda de produtos proibidos, de acordo com a promotora de Justiça Priscylla Maroja, outros fatores contribuíram para a interdição. A Drogaria do Extra, por exemplo, não apresentou a gerencia de Vigilância Sanitária de João Pessoa, a licença sanitária e nem o documento de Autorização de Funcionamento da Empresa (AFE), documentos essenciais. Além disso, a gerência sanitária ter verificado condições inadequadas de armazenamento de medicamentos”, disse Priscylla.
A Drogaria do Extra estava comercializando o medicamento Livalo 2 mg, cuja venda está proibida desde primeiro de dezembro do ano passado. Também foram encontrados três produtos de higiene pessoal vencidos, além não apresentarem ainda o Certificado de Segurança do Corpo de Bombeiros.
Já a Farmácia Fácil – Rick Centre foi interditada por não apresentar o farmacêutico de plantão, essencial para que o estabelecimento funcione. “Sem a presença do farmacêutico não podemos realizar inspeção”, disse a representante da vigilância Sanitária e João Pessoa, Eliane Fernandes Gonçalves.
Operação realizada pelo Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério Público também fiscalizou as farmácias Globo e Permanente, nos Bancários, a Farmácia Pague Menos, em Intermares, e a RedeMed, em Cabedelo.
Via – Click PB