06.09.13-canal-acaua-aracagi_fotos-roberto-guedes_secom-pb-19

O Ministério da Integração Nacional informou na noite dessa quinta-feira (07) que liberou R$ 15 milhões para que o governo do Estado desse continuidade às obras da Vertente Litorânea (PB), também conhecida como Canal Acauã-Araçagi, na Paraíba. O dinheiro será usado para finalização da primeira etapa, que oferece perspectiva de segurança hídrica para seis cidades de médio porte, bem como para a área de produção de grãos e de frutas na região litorânea.

Por meio da assessoria, o ministro Helder Barbalho disse que o Governo Federal trabalha neste momento para concluir as obras estruturantes em andamento e que podem ser concluídas no menor prazo possível.

Nós triplicamos, por exemplo, o repasse de recursos para as obras complementares, que receberão as águas do Projeto de Integração do Rio São Francisco, neste primeiro no primeiro mês”, ressaltou Barbalho.

Segundo o governo estadual, Araçagi-Acauã está com 55% de execução, é composta de 112,5 quilômetros de canais e vai fornecer água para consumo humano, uso industrial e projetos de
irrigação.

ministério integração1Audiência com Barbalho

O governador Ricardo Coutinho se reuniu, nessa quinta (07), em Brasília, com o ministro da Integração. O encontro que foi acompanhado pelo secretário de Infraestrutura e Recursos Hídricos do Estado, João Azevedo, e pelo secretário Institucional do Governo em Brasília, Ricardo Barbosa. Foi lá que o ministro se comprometeu em retomar as obras do canal Acauã-Araçagi, particularmente a primeira etapa, que vai de Acauã até Gurinhém.

Coutinho disse que a carteira de investimentos que a Paraíba tem com o Ministério da Integração é muito alta, tanto no que se refere aos investimentos federais como a contrapartida do Estado.

Engate rápido

Já com relação às adutoras de engate rápido, o governador disse que está sendo aguardada uma decisão do Tribunal de Contas da União sobre a autorização de créditos extraordinários para esse tipo de investimento. Ele adiantou que essas adutoras pressupõem solução para Piancó, Monte Horebe e São José de Piranhas.

Por Laerte Cerqueira