CONCURSOS-NOVOS-2Foi publicado no Diário Oficial desta quarta-feira o edital para o concurso do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que prevê 950 vagas. São 800 colocações para a função de técnico do seguro social (que exige Ensino Médio) e 150 para analista do seguro social (que requer formação superior em Serviço Social). O salário inicial vai de R$ 4.886,87 a R$ 7.496,09, respectivamente (sem incluir gratificações).
Haverá reserva de 20% das vagas para negros e 5% para pessoas com deficiência. A execução da seleção está sob a responsabilidade do Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), mais conhecido como Cespe/UnB.
As inscrições para o concurso devem ser feitas pelo site do Cespe —www.cespe.unb.br/concursos/inss_2015—, entre as 10h de 4 de janeiro e as 23h59min de 22 de fevereiro de 2016. A taxa de inscrição será de R$ 80 para cargos de nível superior e de R$ 65 para nível médio.
O concurso terá apenas provas objetivas, que ocorrerão na data prevista de 15 de maio de 2016, com duração de três horas e meia para todos, no turno da manhã para analista e no turno da tarde para técnico. Há vagas disponíveis para todos os Estados do Brasil.
Para os cargos de nível superior serão cobradas as disciplinas de língua portuguesa, raciocínio lógico, noções de informática, direito constitucional, direito administrativo, legislação previdenciária, legislação da assistência social do trabalhador e da pessoa com deficiência e serviço social. Para as vagas de técnico do seguro social, as matérias exigidas são ética no serviço público, regime jurídico único, noções de direito constitucional, noções de direito administrativo, língua portuguesa, raciocínio lógico, noções de informática e seguridade social.
— Para quem já vem estudando, a dica para essa reta final é focar nos conteúdos de conhecimentos específicos, cujo peso é maior. As provas vão exigir uma atenção redobrada dos candidatos, pois uma questão respondida de forma errada automaticamente elimina uma certa — destaca Edgar Abreu, coordenador da Casa do Concurseiro.
Ter familiaridade com o perfil da banca organizadora é fundamental para conseguir a aprovação, avalia Mário Pinheiro, coordenador pedagógico do site Estratégia Concursos:
— Muitos candidatos se concentram na teoria e se esquecem de treinar a resolução de questões de concursos anteriores organizados pelas bancas. O Cespe se diferencia por exigir um conhecimento bastante aprofundado dos temas que são pedidos nos editais.
Uma recomendação final dos professores é ficar de olho nas mudanças promovidas pelo governo em 2015 na legislação previdenciária, que aumentaram a idade mínima para a aposentadoria.
Via – Diário Catarinense