DilmaUma pesquisa inédita, realizada pelo Ibope entre os dias 14 e 18 de maio, mostra que o índice de confiança na presidente afastada Dilma Rousseff subiu de 18% para 33%. A sondagem é posterior ao afastamento da petista do cargo, a votação do processo de impeachment no Senado ocorreu no último dia 11 e Dilma foi notificada no dia seguinte, quando deixou o Palácio do Planalto para aguardar julgamento.

A expectativa é que mais detalhes da pesquisa sejam divulgados nos próximos dias.

A pesquisa foi realizada antes do vazamento de áudios do presidente do PMDB, Romero Jucá, onde ele negocia com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, a realização de um ‘pacto para estancar a sangria’ para barrar as investigações de Operação Lava Jato e afastar a presidente Dilma Rousseff do cargo.

Na conversa eles afirmam que com Dilma no governo não daria para fazer e que “a solução mais fácil” seria colocar o Michel (Temer) para um “grande pacto nacional”.

O presidente do Ipobe, Carlos Augusto Montenegro, declarou ao colunista Maurício Dias, na Carta Capital subiu 15 pontos comparadas a outras duas pesquisas realizadas nos meses de março e abril. A queda no quesito ‘desconfiança’ caiu de 76% para 65%.

“O resultado surpreende. Dilma, tudo indica, está em processo de recuperação política. A velocidade do caminho será ditada pelo possível fracasso do governo provisório de Temer”, argumenta Montenegro.

Fonte: Jornal do Brasil, com agências