Frei-DamiãoFrei Damião de Bozzano poderá ser declarado beato no próximo ano. A informação foi dada pelo bispo diocesano de Guarabira, Dom Francisco de Assis Dantas de Lucena, ao dirigir-se ao fiéis do frade capuchinho.

“O processo de beatificação de Frei Damião está bem adiantado, provavelmente será no próximo ano,” afirmou. Semana passada a Santa Sé autorizou a abertura do processo de beatificação do Arcebispo de Olinda e Recife, Dom Hélder Câmara. Aqui na Diocese de Guarabira, já são considerados “Servos de Deus”, o Pe. José Antonio de Maria Ibiapina, cujos restos mortais encontram-se em Santa Fé, perto de Arara e Frei Damião de Bozzano.

O processo de beatificação antecede a declaração da santidade do candidato e sua consequente inclusão na lista de santos reconhecida pela Santa Sé.

ORIGEM

Frei Damião de Bozzano, nascido Pio Giannotti.  Era filho dos camponeses Félix Giannotti e Maria Giannotti. Começou sua formação religiosa aos doze anos, quando foi estudar em um colégio de padres. Aos dezenove anos foi convocado para o exército italiano e participou da Primeira Guerra Mundial. Aos 27 anos diplomou-se em teologia pela Universidade Gregoriana em Roma e foi docente do Convento de Vila Basélica e do Convento de Massa.

O frade capuchinho, ordenado sacerdote em 25 de agosto de 1923, veio do norte da Itália para o Brasil no início da década de 1930, estabelecendo-se no Convento de São Felix da Ordem dos Capuchinhos, sendo venerado por fiéis, principalmente nordestinos, pois foi nessa região que ele viveu a maior parte de sua vida, fazendo peregrinações pelas cidades, dando comunhão, confessando, realizando casamentos e batismos. Frei Damião morreu no dia 31 de maio de 1997, no Recife. Por muitos nordestinos considerado como santo, encontra-se atualmente em processo de beatificação desde 31 de maio de 2003.

Depois de vinte anos sem visitar Guarabira, Frei Damião esteve na Diocese, a convite, à época, do bispo Dom Marcelo Pinto Carvalheira. Milhares de pessoas participaram dos eventos, durante as missões. Com a morte de Frei Damião foi construído o Memorial, visitado anualmente por milhares de pessoas, a partir de uma idéia do monsenhor Jose Nicodemos.

freidamião
Prefeitura não cumpre comodato com a Diocese de Guarabira. (Foto: Reprodução)
PREFEITURA DESCUMPRE CONTRATO
Cruzeiro, obra de Brenand, também precisa de restauro. (Foto: Eraldo Luís / Nordeste1)
Cruzeiro, obra de Brenand, também precisa de restauro. (Foto: Eraldo Luís / Nordeste1)
Dom Lucena, assinalou que é preciso o envolvimento de todos, a fim de que o Memorial de Frei Damião seja restaurado. “Os frades capuchinhos estão fazendo, com ajuda de comerciantes, toda renovação da via sacra. Há uma equipe se movimentando para que o Memorial possa avançar. Frei Damião será beatificado no próximo ano e o Memorial não pode ficar o mesmo”, afirmou.
“Caso, contrário, será muito feio para nós os guarabirenses. Será uma coisa triste, triste mesmo, para todos nós guarabirenses. Por isso tem que avançar. Vamos Lutar”, concluiu o prelado.
O Santuário de Frei de Damião tem sido objeto de conflito entre a Prefeitura de Guarabira e a Diocese. Ocorre que, quando do governo da ex-prefeita Léa Toscano, foi celebrado um Contrato de Comodato, estabelecendo as responsabilidades do município para o com o Santuário.
Pelo Comodato, dentre outros itens, a Prefeitura deveria manter funcionários, colocar um carro à disposição, manter o funcionamento do Posto de Saúde e fornecer materiais de limpeza, além do pagamento das contas de água e luz. Vários pontos estão sendo descumpridos pela Edilidade.
“Do jeito que está não podemos continuar. É inadmissível que só se fale no Memorial quando se quer fazer propaganda. A continuar assim deveremos faze uma revisão no comodato. Como está é melhor que não o tenhamos mais”, afirmou Dom Lucena.

Fonte: Blog do Professor Josa com Nordeste1