Moleka 100 Vergonha vence Concurso de Quadrilhas Juninas de Campina Grande em 2019 — Foto: Emanuel Tadeu/Medow

Há dois anos, as roupas juninas foram guardadas, os temas que os quadrilheiros pensavam para as apresentações foram deixados para depois e “O Maior São João do Mundo“, em Campina Grande, se tornou um sonho distante e sem perspectiva de retorno, devido à pandemia da Covid-19. Agora, faltando 1 mês para a festa, as quadrilhas juninas se preparam para o grande retorno. O São João 2022 de Campina Grande acontece de 10 de junho a 10 de julho.

Em 2020, a decisão de não ter o evento na cidade foi tomada no dia 31 de abril daquele ano, pelo então prefeito, Romero Rodrigues. Um ano depois, em 2021, a ciência já apontava saídas para a pandemia, com a chegada da vacina que diminui o poder ofensivo da doença.

Na Paraíba, a primeira dose do imunizante foi aplicada no dia 19 de janeiro do ano passado e trazia esperança para a população. Porém, era necessário que mais de 70% dos campinenses recebessem a vacina para que pudesse acontecer algum tipo de flexibilização nas medidas de biossegurança contra a doença. Logo, mesmo com a chegada da vacina contra a Covid-19, um novo decreto com restrições cancelou o São João em Campina Grande pelo segundo ano.

Sem a festa, os quadrilheiros não conseguiram perpetuar a dança, a cultura e a paixão pelo São João por dois anos. Alguns deles tiveram a vida interrompida pela Covid-19 e algumas quadrilhas tiveram que parar. O presidente da Associação de Quadrilhas Juninas de Campina Grande (Asquaju), Marcio Marques, contou que foi um momento muito difícil para todo mundo e que até hoje os impactos da pandemia são sentidos pelos quadrilheiros.

“Perdemos para doença vários brincantes, o cantor da quadrilha Moleka 100 vergonha, por exemplo”, lamentou.

O cantor da quadrilha junina Moleka 100 Vergonha, Jefferson Emanoel Costa, morreu aos 26 anos de Covid-19 no dia 31 de maio de 2021, em Campina Grande. Ele também era membro da comunidade católica Obra Nova. Jefferson não tinha comorbidades e ficou internado por cerca de uma semana.

Jefferson Costa morreu de Covid-19, aos 26 anos, em Campina Grande — Foto: Divulgação/Moleka 100 Vergonha
Jefferson Costa morreu de Covid-19, aos 26 anos, em Campina Grande — Foto: Divulgação/Moleka 100 Vergonha

 

Márcio ainda contou que em dois anos a vida mudou muito e isso fez com que algumas quadrilhas não conseguissem se restabelecer e voltar para os arraiais, a exemplo da quadrilha Junina Cambebas, do bairro das Malvinas.

“As pessoas já tiveram filhos e têm outros compromissos financeiros, não tivemos uma renovação mínima desses participantes e, com isso, a volta esse ano está sendo bem difícil. Nem todas as quadrilhas conseguiram retornar”, disse.

 

A Moleka 100 Vergonha, que possui vários prêmios regionais, estaduais e nacionais, foi a primeira quadrilha do Brasil a parar as atividades por causa da pandemia da Covid-19, segundo o presidente da junina, Mahatma Vieira. Ele disse que quando percebeu a proporção da doença, já pediu para que os integrantes do grupo ficassem em casa e interrompeu os ensaios.

“A primeira quadrilha do Brasil a parar [por causa da pandemia], foi a gente. Quando eu vi quem estava naquela problemática [pandemia da Covid-19]e não tinha solução”, lamentou.

 

Agora, em 2022, várias quadrilhas podem finalmente voltar a se apresentar no São João de Campina Grande. Mas, apesar da felicidade do retorno, algumas quadrilhas vão permanecer na expectativa por conta da falta de recursos. É o caso da junina Cambebas, fundada em 1996.

Quadrilha Cambebas, de Campina Grande, no São João 2019 — Foto: Divulgação / Junina Cambebas
Quadrilha Cambebas, de Campina Grande, no São João 2019 — Foto: Divulgação / Junina Cambebas

Na época de sua criação, a quadrilha surgiu como forma de divertimento para os moradores do bairro das Malvinas, mas com o passar dos anos, a quantidade de membros cresceu e as responsabilidades e conquistas também. Em 2020, no entanto, o sonho foi interrompido.

“Para nós foi uma notícia muito triste. A gente já estava se preparando desde o ano anterior então ficamos muito tristes, mas na esperança que passasse rápido o pesadelo que se iniciava naquele ano, a pandemia”, diz Rangel Borges, presidente da Cambebas.

 

Com o início da pandemia, a junina sofreu o impacto do cancelamento de patrocínios e da parceria com músicos e atores. Não houve tempo, segundo o presidente da quadrilha, para se preparar financeiramente para o período junino de 2022.

A expectativa é que, em 2023, o show volte a acontecer.

“Esperamos ter [em 2023]uma junina ainda mais forte para levar nosso espetáculo para o público, ajudando assim a sua economia gerando emprego diretamente e indiretamente, além de encher os olhos daqueles que visitam o São João de Campina Grande”, conclui.

 

Para as quadrilhas que vão se apresentar, as competições começam a partir de 9 de junho, de acordo com a Associação de Quadrilhas Estilizadas de Campina Grande (Asquaju).

A abertura da temporada de apresentações acontece com o Festival das Estrelas Juninas, onde são escolhidos a rainha, os noivos e o casal junino do São João 2022.

Nos dias 11 e 13, acontece o Festival Camponeses de Quadrilhas Juninas, com quadrilhas apenas de Campina Grande.

Já nos dias 14 e 15, acontece o Festival de Quadrilhas Juninas do Agreste, com as cidades que fazem parte da região. As três melhores juninas de cada festival vão para o Festival Paraibano de Quadrilhas que acontece na cidade de Santa Rita, de 16 a 20 de junho.

Novidades do São João 2022 de Campina Grande

 

A programação oficial do São João 2022 de Campina Grande foi divulgada no dia 18 de abril, pela empresa organizadora do evento e a prefeitura da cidade. Além da programação no Parque do Povo, várias outras iniciativas se espalham pela cidade.

A Secretaria de Cultura de Campina Grande (Secult) divulgou ao g1 a programação do projeto ‘Zabumba Lá’, que tem como objetivo resgatar a história e obra de artistas de Campina Grande.

Este ano, o grande homenageado da iniciativa será Biliu de Campina. O evento vai contar a história dos artistas com atividades culturais. (Confira a programação abaixo)

  • Biliu de Campina – 20 de maio;
  • Marinês – 27 de maio;
  • Diomedes Dedo de Ouro – 8 de junho;
  • Parafuso – 15 de junho.

 

O projeto vai acontecer no Teatro Municipal Severino Cabral, no Centro de Campina Grande, com apresentações musicais e exposições.

A expectativa da Secult, também, é para o Casamento Coletivo, cujos preparativos estão a todo vapor. Na última semana uma reunião foi feita para definir todas as questões burocráticas dos casais selecionados.

Reunião com os casais do Casamento Coletivo do São João 2022 de Campina Grande — Foto: Divulgação/Secretaria de Cultura de Campina Grande
Reunião com os casais do Casamento Coletivo do São João 2022 de Campina Grande — Foto: Divulgação/Secretaria de Cultura de Campina Grande

Vários outros eventos, como Arraiá de Cumpade, já divulgaram a programação de shows para 2022 e também se preparam para o evento.

 

CONHEÇA NOSSA EQUIPE DE COLABORADORES