Um estudo da Associação Brasileira de Resíduos Sólidos e Limpeza Pública (ABLP) realizado no final de 2016 revela que 19 municípios paraibanos possuem um baixo Índice de Sustentabilidade da Limpeza Urbana (ISLU).  O ISLU avaliou o engajamento do município, a sustentabilidade financeira, a recuperação dos recursos coletados e o impacto ambiental do setor, mas a maioria das cidades paraibanas pesquisadas ficaram com notas abaixo do ideal em todos esses quesitos.
Os municípios de Bom Jesus, Itapororoca e Pirpirituba tiveram a avaliação consideram como muito baixa. No quesito recuperação de recursos coletados, as três cidades receberam a nota zero. E em Bom Jesus, a situação piora quando é analisado o impacto ambiental causado pelo lixão da cidade.
Pulando da nota muito baixa para a nota no ISLU, estão os municípios de Aguiar, Areia, Aroeiras, Cacheira dos Índios, Fagundes, Nova Palmeira, Pedras de Fogo, Pedro Régis, Princesa Isabel, Riacho de Santo Antônio, Santa Teresinha, São Bento, São José de Piranhas, São Mamede, Sapé e Sumé. Aqui todas as cidades também receberam nota zero no quesito recuperação de recursos coletados.
O estudo observou que nenhum município paraibano apresenta a pontuação máxima do índice e apenas um município paraibano obteve uma nota alta, sendo classificada como B. Deixando claro, que o sistema de limpeza urbana não funciona nos municípios da Paraíba.
Fonte: Jornal da Paraíba
CONHEÇA NOSSA EQUIPE DE COLABORADORES