O programa de injeção de liquidez, que dá dinheiro para os bancos, em troca da ampliação do crédito será permanente, disse o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto

Presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, em Brasília 07/04/2020
Presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, em Brasília 07/04/2020 (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

247 – O programa de injeção de liquidez, que dá dinheiro para os bancos, em troca da ampliação do crédito será permanente, disse nesta quarta-feira, 25, o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto. Segundo ele, o programa continuará com alguns ajustes no próximo ano.

Sobre o novo surto de coronavírus no país, Campos Neto destacou que os casos aumentam em todo o planeta, mas disse que, no Brasil, o problema pode ser agravado pela redução do distanciamento social, principalmente entre os jovens, que são “menos pacientes”.

“O custo efetividade versus o custo econômico do distanciamento é inferior ao visto no passado. O mercado está mais focado em vacinas do que em impulsos de estímulos adicionais”, acrescentou.

Enquanto isso, o governo federal, por meio do ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o auxílio emergencial para pessoas de baixa renda não deve continuar depois de dezembro, apesar da crise econômica. Ele ainda culpou o valor de R$ 600, pagos nos primeiros meses, pela não continuação da medida.

https://www.brasil247.com/