Cinco paraibanos estarão em plenário hoje, quarta-feira (11), no Senado Federal, para votação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Destes, apenas dois votarão contra. Os outros três, são a favor.

Apesar de a Paraíba contar apenas com três representações na Casa (José Maranhão; Cássio Cunha Lima; Raimundo Lira) o estado conta com outros dois parlamentares que foram eleitos por outras unidades da federação.

Tratam-se da senadora Fátima Bezerra, o PT do Rio Grande do Norte, mas que é natural do município de Nova Palmeira, na Paraíba e também Lindbergh Farias, paraibano, filiado ao PT, e que atua pelo estado do Rio de Janeiro.

Fatima disse que o processo é cheio de vícios e que Dilma deve recorrer contra decisão do Senado Federal. “Eu não tenho nenhuma dúvida de que nós estamos diante de um jogo de cartas marcadas. É claro que a correlação de forças aqui no Senado nesta fase nos é desfavorável, mas o processo não termina aqui e nem a história termina aqui, de maneira nenhuma. Nós vamos continuar denunciando esse golpe que ao nosso ver é a maior fraude jurídica e a maior farsa política, na medida em que querem cassar uma presidente sem a comprovação de crime de responsabilidade”, disse

O tucano Cássio Cunha Lima afirmou que não teme por sua segurança pessoal por ser a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff. O senador paraibano foi alvo de protestos em aeroportos, de civis e movimentos sociais, em aeroportos, com gritos de “corrupto, golpista, cassado”.

“Acho que não é necessário. As pessoas têm o direito de se manifestar, emitir suas opiniões. Eu divirjo dessas opiniões porque só estou votando pelo impeachment da presidente Dilma porque ela cometeu os crimes”, disse o senador.

O senador José Maranhão (PMDB-PB), ressalta que votará em favor do país. Já Raimundo Lira (PMDB-PB), que havia se pronunciado favorável ao processo, depois que foi alçado à presidência da Comissão do Impeachment, se posicionou como imparcial.

Caso seja aprovado, o vice-presidente Michel Temer (PMDB) assume o comando do país a partir desta quinta-feira (12).


Com PB Agora