Obra: Vidas Secas
Autor: Graciliano Ramos
Editora: Record
Autor da Resenha: Instagram Livros Gatos e Bordados

‘’Comparando-se aos tipos da cidade, Fabiano reconhecia-se inferior. Por isso desconfiava que os outros mangavam dele. Fazia-se carrancudo e evitava conversas.’’

Essa obra narra a história de Fabiano, Sinhá Vitória, do filho mais velho, do filho mais novo e de Baleia, uma cachorrinha repleta de humanidade. Essa família de retirantes é vítima da estiagem, que ocorre no sertão nordestino, e da opressão humana. Nesse cenário, somos apresentados às lutas diárias dessas pessoas, as quais enfrentam injustiças, a seca, a fome e o cansaço físico e mental para sobreviver.

Embora seja caracterizada como regionalista, a obra traça caminhos que nos levam a olhar o ser humano em sua totalidade, independente da região na qual está inserido, uma vez que paramos para refletir sobre as consequências emocionais que as relações humanas baseadas em desigualdade e falta de empatia podem causar.

Com efeito, conhecemos as marcas deixadas não só pela natureza, como também pelas injustiças praticadas pelo homem na vida desses personagens, os quais podem ser vistos como representantes de tantas pessoas no mundo real. Diante disso, passamos a conhecer o íntimo deles, que escapa através de certos atos e mostra o lado humano, como a amizade deles com a cahorrinha Baleia, lado esse que eles tanto tentam esconder por trás de uma máscara de resignação e brutalidade.

@livrosgatosbordados