A Energisa, distribuidora de energia que opera em todo o Estado, foi alvo mais uma vez de críticas pelo deputado Anísio Maia (PT).
A empresa que já foi obrigada em outras oportunidades a comparecer à Assembleia Legislativa para explicar especialmente o que ficou conhecido como “Golpe do Fio Preto”, onde funcionários, sob ordens da empresa, implantariam ligações ilegais de eletricidade, os chamados “gatos”, para cumprir uma meta diária de três a cinco cortes de energia por dia, foi novamente alvo de polêmicas na ALPB. 
Segundo Anísio, o Termo de Ajustamento de conduta apresentado na terça (14) foi um passo importante no sentido que a empresa assinou na visão do parlamentar uma confissão. “Ella reconheceu que fraudou os consumidores. Ou seja, ela estabeleceu um roubo no que ela tinha dito por ela roubado. Então várias entidades vão receber R$ 800 mil da multa, nada contra isso, mas e os consumidores que foram acusados injustamente fica como? Então essa Casa te que se posicionar e temos que pedir reparação sob todos os danos sob as pessoas que foram acusadas”, disse destacando de antemão que isso foi uma vergonha para uma empresa milionária contra simples consumidores.
O parlamentar petista não descartou a possibilidade do de instalar na ALPB uma CPI para cobrar providencias jurídicas e penais aos consumidores que foram lesados. “Os consumidores também devem ser indenizados”, assegurou.
Fonte: PB Agora