Prefeitura-de-Araçagi
             Prefeitura Municipal de Araçagi

Com a crise que possivelmente tenha chegado ao seu ápice em 2015, as prefeituras de todo Brasil, e na Paraíba não poderia ser diferente, estão tendo que adequar-se a uma nova realidade.

Segue a lista de alguns prefeitos que reduziram seus salários, além de outras medias:

Esperança – O prefeito da cidade de Esperança, Anderson Monteiro (PSC), decretou a redução do próprio salário e da vice-prefeita Roxana Nóbrega (PSC) em 20% e em 10% dos secretários municipais. Pelo menos cinco outros prefeitos paraibanos já tinham anunciado a mesma medida nas últimas semanas.

A medida faz parte de um decreto que começou a vigorar na segunda-feira (21) e, entre outras coisas, reduziu também o expediente das repartições públicas, que passam a funcionam das 8h às 14h. As mudanças valem para os próximos 100 dias.

Segundo Anderson Monteiro, as medidas levam em consideração, principalmente, a queda das receitas do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Em comparação com 2014, a diminuição das receitas chega a 30%, de acordo com ele.

Ainda foi determinada a contenção de gastos de energia elétrica, telefone, água, combustível e a revisão de contratos de prestação de serviços como alugueis de veículos, imóveis, assessorias advocatícia e contábil. Também está proibido realizar contratações temporárias e pagamento de diárias.

Areia – O prefeito do município de Areia, Paulo Gomes Pereira, reduziu em 30% o próprio salário e o do vice-prefeito, André Ricardo Costa. A cidade fica localizada no Brejo paraibano, a 122km de João Pessoa. Este é, pelo menos, o quinto prefeito paraibano que reduz o próprio salário em menos de um mês.

Lagoa Seca – O prefeito do município de Lagoa Seca, no Agreste paraibano, José Tadeu, reduziu, no dia 15, em 40% o próprio salário, o da vice-prefeita em 30%, e em 10% dos secretários municipais. A decisão entrou em vigor na data da sua publicação, retroagindo os seus efeitos para o dia 1º de setembro.

Patos – No dia 3 de setembro, foi a vez da prefeita de Patos, Francisca Mota, anunciou a redução do próprio salário em 50%. Além disso, ela anunciou outros cortes nos gastos do município. A prefeita alegou que a prefeitura passa por dificuldades financeiras e essas medidas ajudarão a continuar garantindo o pagamento dos servidores.

Campina Grande – Já no dia 1 de setembro, o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB), anunciou que reduziu o próprio salário e o do vice-prefeito, Ronaldo Cunha Lima (PSDB), em 40%. Ele ainda declarou que 20% das gratificações dos comissionados foram cortadas, estão suspensas as contratações de comissionadas, pagamento de diárias de viagens, locação de carros para secretários municipais e horas extras.

Cruz do Espírito Santo – No fim do mês de agosto, o prefeito de Cruz do Espírito Santo, Pedro Gomes Pereira, mais conhecido como Pedrito, reduziu o próprio salário em 20%, assim como o do vice-prefeito e secretários, além da redução, de gastos desnecessários.

Da Redação com G1