Firmino desembarca de capuz em São Paulo (Foto: WERTHER SANTANA/ESTADÃO CONTEÚDO)
Roberto Firmino na chegada em São Paulo (Foto: Werther Santana/Estadão Conteúdo)

Capitão do Brasil na Copa de 70, Carlos Alberto Torres não poupou ninguém de suas críticas ao falar de seleção brasileira durante o “Troca de Passes” deste domingo. Na avaliação do campeão mundial, até mesmo a roupa usada pelos jogadores na volta ao Brasil após a eliminação na Copa América indica um descomprometimento com a equipe e com o país.

– Existe um ditado assim: quando você tem um time bom, você diz: “Posso até não ganhar”. Já quando tem um time mais ou menos, diz: “Posso até ganhar”. É o caso do Brasil hoje. Quando Neymar joga, as esperanças são maiores, porque o moleque é bom para burro e em uma jogada individual decide o jogo. A Seleção hoje não inspira confiança em quase ninguém. Não pensem que o time está no caminho certo para ganhar a Copa, porque não está. Tem muita coisa errada. Tem gente que diz que sou conservador, mas vi um garoto desembarcando em São Paulo (Roberto Firmino), e aquilo não é jogador de seleção, é jogador de pelada. O cara de capuz na cabeça. Na Europa, você vê Neymar e todo mundo desembarcando de terninho e gravata, respeitando a instituição. Aqui, não respeitam.

Na avaliação do Capita, a postura dos jogadores fora de campo tem influenciado o rendimento dentro dos gramados. Após empatar por 1 a 1 no tempo normal com o Paraguai, nas quartas de final da competição, o Brasil caiu nos pênaltis, após falhas de Everton Ribeiro e Douglas Costa.

– Deste jeito o Brasil não vai ganhar nada. Por que a CBF não começa a mudar? Tem de mudar essa coisa de cultura também. Começa daí (do vestuário), aí que você vê se o jogador está com a cabeça para servir a Seleção ou não. Perdeu e está tudo bem, eles vão embora, não tem de encarar o torcedor no domingo no Maracanã. Eles levam a coisa errada de fora para dentro de campo. Eu mais ou menos conheço jogador. Joguei aqui e no exterior. Quando chegam lá, são todos profissionais e aqui ficam de oba-oba. Enquanto não mudar comportamento extracampo, não vai mudar nada. Os caras não estão nem aí se o Brasil vai ganhar ou não. Antigamente, dependiam da Seleção para fazer um bom contrato. Agora jogam lá fora, que se dane. Não dependem da Seleção para ganhar nada, pois já têm um belo contrato –  afirmou.

Eliminado da Copa América, o Brasil inicia a caminhada nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018 em outubro, ainda sem tabela divulgada. Suspenso, Neymar desfalcará o Brasil nos dois primeiros jogos da competição.

Sportv.com