O brasileiro Brian de Mulder, de 22 anos, que viajou para a Síria em 2013 para se unir ao Estado Islâmico está morto. S2014-757699433-2014-757561629-inter_brian_20141005_201410061egundo uma reportagem do jornal “Folha de São Paulo”, a família foi informada da morte por uma mensagem de celular. Brian é filho da brasileira Ozana Rodrigues e tem pai belga.

Ele é conhecido como Abu Qassem Brazili (Abu Qassem Brasileiro, em árabe). A irmã do jovem, Bruna, teria recebido a mensagem “Brian está no paraíso” e uma fotografia jovem “sem cor e com os lábios roxos”. A mensagem foi enviada por Sara, uma mulher com quem Brian se casou. A mãe disse que “recebeu a informação, mas que a falta de confirmação por algum governo torna mais difícil aceitar a perda”.

Segundo a família, Sara parecia feliz, via Whatsapp, e afirmava que Brian, com quem se casou no início de 2014, havia morrido como mártir. O militante teria sido ferido em local próximo a Deir Ezzor, na Síria, no início de outubro. A mensagem sobre sua morte foi enviada no fim do mês. “Não vi nenhum pingo de tristeza nela. Ela também não vê a hora de morrer. Bloqueei o contato. Não consigo entender como ela pode estar feliz com uma coisa que é tão dolorosa”, disse Bruna à “Folha”.

Ozana Rodrigues com a foto do filho Brian de Mulder
                                   Ozana Rodrigues com a foto do filho Brian de Mulder Foto: YVES H

Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/mundo/brasileiro-que-se-uniu-ao-estado-islamico-teria-morrido-na-siria-18090278.html#ixzz3rxzlIbq3