O Cruzeiro chega ao fim da Série B em cenário com tons melancólicos. Brigando somente para permanecer na divisão de acesso, sendo o primeiro das grandes potências do futebol brasileiro a protagonizar este cenário, o clube encaminhou ter segurança de poder pensar exclusivamente no planejamento de 2021.

Com 44 pontos, o time está praticamente salvo do risco de rebaixamento, estando a oito pontos do Z-4, faltando cinco jogos para realizar. No ano passado, por exemplo, Figueirense e Oeste se salvaram com 41 pontos ao final do torneio.

Não era nem de longe o que o torcedor cruzeirense esperava no ano do centenário do clube, mas o desempenho é resultado do ano marcado por muitas mudanças na administração e sem um planejamento convicto.

A vitória por 1 a 0 sobre o Sampaio Corrêa, na última sexta-feira, com o time marcando logo no começo – e segurando o resultado em boa parte do resto – foi motivo de alívio no fim para o Cruzeiro, que poderia ficar mais ameaçado em caso de nova derrota. Vitória do empenho dos jogadores, mas sufoco fruto do nervosismo de William Pottker, expulso logo no começo do segundo tempo.

Jogadores do Cruzeiro comemoram gol de William Pottker — Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro
Jogadores do Cruzeiro comemoram gol de William Pottker — Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Ao chegar aos 44 pontos, o Cruzeiro garante a permanência na Segunda Divisão, o que agora o permite se concentrar na montagem do elenco para 2021. E aí vêm os grandes desafios do clube com Luiz Felipe Scolari.

Com dificuldades financeiras, a Raposa acumula atrasos em duas folhas e meia de salário (outubro, novembro e dezembro), mais o pagamento de 13º neste momento. Falta dinheiro no caixa do Cruzeiro, mas o clube tenta contornar a situação com a venda de atletas, como é o caso do lateral Orejuela.

É a solução encontrada pelo clube para colocar a folha em dia e também poder negociar contratações, caso sobre alguma fatia da venda. Felipão quer cinco reforços para a próxima temporada, mas, se não tiver dinheiro, terá de ter muita criatividade para trazer jogadores que venham para acrescentar.

Mas não bastará isso. O Cruzeiro ainda precisa resolver a situação da punição na CNRD. Atualmente, o clube está impedido de registrar atletas por não repassar cerca de R$ 1,2 milhões ao PSTC-PR. O clube discute a situação e, ao mesmo tempo, busca um acordo.