Revólver e celulares foram apreendidos com o adolescente(Crédito: Divulgação)
Revólver e celulares foram apreendidos com o adolescente (Crédito: Divulgação)

Alunos teriam ajudado assaltantes a fugir da escola após a ação criminosa

Dois alunos teriam participado do assalto à Escola Estadual Professora Luzia Simões Bartolini, nesta segunda-feira (1). A informação foi confirmada por um adolescente de 17 anos, apreendido na manhã desta terça-feira (2), no conjunto Vieira Diniz, no Jardim Veneza. Essa já é a terceira vez que o jovem é apreendido pela PM.

Com ele, a Polícia Militar encontrou um revólver calibre 38 e recuperou quatro aparelhos celulares. Segundo o adolescente – que confessou o assalto – ele teria participado com outro suspeito e contou com a ajuda de dois estudantes da própria escola assaltada.

A diretora da unidade de ensino, Ana Carla Farias, agradeceu a resposta rápida da Polícia Militar. “Foi muito importante essa resposta rápida, vi o empenho dos policiais desde a hora do crime e só tenho a agradecer pela atenção que nos foi dada”, disse, ao avisar que nesta quarta-feira (3) as aulas voltam ao normal.

O jovem suspeito do assalto já cumpriu 9 meses de medida socioeducativa por roubo e tinha sido apreendido antes por porte ilegal de arma. Ele foi levado para a Delegacia da Infância e Juventude, no Centro. A PM continua em diligências p apreender os outros suspeitos.

Medidas

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Euller Chaves, falou de algumas providências que serão tomadas de forma imediata. “São dois projetos que já definimos em uma reunião na manhã desta terça-feira. O primeiro é a implantação de uma ronda do Proerd (Programa de Erradicação às Drogas e à Violência), que consiste na presença constante de policiais capacitados com o programa nas escolas daqui do bairro, não só pegando assinatura de diretores como acontecia antes, mas convivendo com os alunos e participando do seu dia a dia para conhecer mais de perto os anseios da comunidade escolar”, adiantou.

O segundo projeto, ainda de acordo com o coronel Euller, é a criação de “zap.com PM”, que é um grupo de interação com a comunidade, professores e diretores, através de um aplicativo de mensagens instantâneas por celular. “As tecnologias que aproximam a polícia da comunidade serão todas usadas para unirmos esforços e restabelecer à paz social”, garantiu.

O projeto-piloto dos dois projetos será realizado nos bairros do Jardim Planalto e Mangabeira. A própria Polícia Militar vai capacitar as pessoas que farão parte do grupo de interação por mensagens instantâneas de celular.

Fonte: WSCOM Online

CONHEÇA NOSSA EQUIPE DE COLABORADORES