foto_enfermeira_celularQuem desobedecer deverá ser retirado da instituição com auxilio da segurança, guarda municipal ou até mesmo a polícia militar.

A reportagem do portal e TV Online Diário do Sertão entrevistou nesta segunda-feira (08) o vereador e presidente da Câmara Municipal de Sousa, Aldeone Abrantes (PTB). O parlamentar mirim falou sobre o projeto de Lei que proíbe o uso do celular nos órgãos públicos da cidade de Sousa.

De acordo com o projeto de Lei fica proibido pelos servidores ou empregados o uso de aparelho telefônico seja para efetuar ligação, enviar ou receber mensagens ou fazer uso de WhatsApp nos seguintes órgãos abaixo:

•    Hospitais;
•    Casas de saúde;
•    Postos de saúde;
•    Instituições bancárias e financeiras;
•    Salas de aula e conferências;
•    Casas fechadas de espetáculos em momentos de exibição;
•    Bibliotecas, quando em uso para leitura e estudo;

A pessoa que for flagrada descumprindo a lei será punida e terá de pagar R$ 200 UFIRs (Unidades Fiscais de Referência), equivalente a R$ 542, e, além disso, deverá ser retirado da instituição com auxilio da segurança, guarda municipal ou até mesmo a polícia militar em caso de desobediência. Os estabelecimentos que não se adequarem a nova determinação não terão seus alvarás de funcionamento renovados.

 Fonte: Diário do Sertão

CONHEÇA NOSSA EQUIPE DE COLABORADORES