Vice-Prefeito Melqui critica desproporcionalidade na cobrança do valor da “Taxa de iluminação Pública” em Araçagi

0

Murilio Nunes e Melqui Gomes

O vice-prefeito Melqui Gomes (PSDB), do município de Araçagi, rompido politicamente com o atual gestor, Murilio Nunes (PSB), desde Outubro do ano passado, se posicionou contra a cobrança da taxa de iluminação pública e os critérios que esá sendo usado, além de tratar de outros temas na tarde desta segunda-feira (16), na rádio Marmaraú-FM, no jornal da 104, apresentado pelo radialista Marcos Ribeiro.

Durante sua participação diversas pautas foram abordadas e compartilhados com os vários ouvintes que participaram através dos telefones da emissora. Segundo Melqui Gomes, além da população estar sofrendo ao ter que pagar mais uma tributo, ainda existem denúncias de que os valores estão sendo desproporcionais ao consumo e não existe um esclarecimento sobre qual a porcentagem e os critérios para cada cobrança.

Em participação durante o programa, o Secretário de comunicação do município de Araçagi, José Feliciano, confirmou que existem alguns equívocos com relação a cobrança, mas que é de responsabilidade da empresa (ENERGISA), e que o problema será resolvido de forma imediata, disse.

A aprovação CIP foi colocada pelo prefeito Murilio Nunes, como sendo uma das poucas opções para que pudesse ter condições de recolocar o transporte universitário.

Com relação a saúde do município, o vice-prefeito Melqui foi enfático ao questionar a situação da Unidade Mista Vanildo Maroja que encontra-se com a maior parte de seus serviços suspensos, já durante 07 meses. 

É mais fácil morrer alguém na porta do hospital, que os filhos de Araçagi nascerem aqui”, disse Melqui, sendo essa uma proposta que se encontrava no plano de governo do prefeito Murilio Nunes. 

Outro ponto abordado foi com relação a cidadãos araçagienses estarem recebendo multas de trânsito em suas residências sem terem tido uma prévia comunicação. Melqui afirmou que buscará informações junto ao Ministério Público sobre um suposto documento que determina a realização de blitz, inclusive pelo não uso do capacete, na cidade de Araçagi, onde esse, apesar de ser obrigatório, geralmente tem sua exigência dispensada em municípios de pequeno porte.

Da Redação/Portal Araçagi  

Share.