O Livre Arbítrio – Por Emerson Rodriges

0

É relativamente comum ouvir alguém volta e meia falar no tal do livre arbítrio não é? Geralmente dá a impressão de que livre arbítrio é liberdade total para fazer o que quiser. E é quase isso… Só que com um detalhe, parece que as pessoas pensam que o livre arbítrio é carta branca para fizermos “o que der na telha”.

Livre arbítrio não é permissão para o ser humano fazer tudo o que quiser ou dizer tudo o que quiser, sem ter que arcar com as consequências. Sejam elas boas ou não. Livre arbítrio é você poder sim tomar decisões, fazer escolhas, sabendo ou considerando o que isso pode gerar de bom ou de ruim na sua vida e na vida das demais pessoas.

Na Bíblia não existe a expressão livre arbítrio, mas, ela costuma ser usada até mesmo por cristãos. Claro que dando o sentido cristão a ela. Ou seja, livre arbítrio não é algo inconsequente! O livre arbítrio só vale a pena se for para o BOM USO DA NOSSA LIBERDADE.

Saber ponderar, relevar, equilibrar-se para não desequilibrar também os outros. Foi por uma má escolha de Eva e logo depois Adão, que o pecado da desobediência entrou no mundo (Gn 1 e 2). Sobre essa liberdade para escolher bem, diz a Palavra de Deus:

“Olha que hoje ponho diante de ti a vida com o bem, e a morte com o mal.” 
Deuteronômio, 30:15

  1. Paulo também nos revela que “”tudo me é permitido, mas nem tudo convém. Tudo me é permitido, mas eu não me deixarei dominar por coisa alguma. (I Coríntios 6, 12)” Os Pais da Igreja, ou seja, aqueles líderes espirituais dos primeiros séculos da era cristã, também comentavam sobre a liberdade e o bom uso dela:

“Todavia, como Ele sabia que era coisa boa, criou os anjos e os homens livres para realizarem o bem e determinou os tempos até o momento que Ele sabe que será bom eles possuírem livre-arbítrio. E porque igualmente considerou bom, estabeleceu julgamentos universais e particulares, embora sem atentar contra a liberdade.” (São Justino Mártir sec II – Diálogo com Trifão – Cap 102)

Nos canta o Pe. Zezinho: “Diante de ti, ponho a vida e ponho a morte. Mas, tens que saber escolher…”(música “Em prol da vida”)

O fato é que não estamos soltos no mundo, daremos conta de nossas decisões, tanto aqui, como lá… de como usamos nossa liberdade!

A liberdade não consiste em fazer só o que se quer, mas, sim, em não ser escravo do próprio ego! (Emerson Rodrigues)

Da Redação/Portal Araçagi

Share.

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/paracagi/public_html/wp-includes/functions.php on line 3743