Em Araçagi, Câmara apreciou contas do ex-prefeito José Alexandrino Primo, referentes aos exercícios de 2013, 2014, 2015 e 2016

0

José Alexandrino Primo – Didi Braz

Na noite desta terça-feira (29), foram colocadas para apreciação na casa João Pessoa de Brito, Câmara Municipal de Araçagi, as contas do ex-prefeito José Alexandrino Primo (Didi de Braz), referentes aos exercícios de 2013. 2014. 2015 e 2016.

Na sessão se fizeram presentes 09 dos 11 vereadores, os parlamentares mirins Givaldo Porfírio e Beto Mariano não estiveram presentes a sessão.

As contas do ex-prefeito dos anos de 2015 e 2016 vieram com parecer favorável à aprovação do Tribunal de Contas, já as contas dos exercícios 2013 e 2014, tiveram um parecer desfavorável para aprovação junto ao mesmo Tribunal.

A sessão que foi marcada por um grande movimento de populares, entre eles o ex-prefeito que se fazia presente nas galerias da Câmara Municipal, pôde acompanhar em loco a votação, sendo realizada um ano de cada vez, em ordem decrescente, ou seja, iniciou-se pelo ano de 2016 até o ano de 2013.

As contas referentes aos anos de 2015 e 2016 que vieram com parecer favorável do tribunal de contas para aprovação, foram aprovadas por unanimidade pelos vereadores. Em contrapartida, as contas dos anos 2013 e 2014, que tinham um parecer desfavorável à aprovação pelo Tribunal de Contas, também foram reprovadas pela câmara.

As contas referentes ao ano de 2014, tiveram uma votação de 06 votos para reprovação e apenas 03 votos para aprovação das contas. Já as referentes ao exercício de 2013, foi a que teve uma votação mais equilibrada e contrariando o que alguns esperavam, que era a expectativa de que seria uma reprovação pelo mesmo número de votos do exercício de 2014, mostrou-se em um cenário diferente.  No geral, 05 dos nove vereadores votaram a favor da aprovação das contas e 04 foram contra. Mas, como é preciso uma maioria de pelo menos dois terços dos votos para que possa se concretizar a aprovação, as contas do exercício de 2013 também foi reprovada pela casa.

Nossa equipe não conseguiu obter informações sobre quais foram os motivos que fizeram com que o TCE-PB emitisse um parecer desfavorável à aprovação dessas contas. 

Da Redação/Portal Araçagi

Share.