Drogas: um caminho entre o uso, a dependência e o crime – Por Laís Aparecida

0

A forma de vício mais comum é a dependência química, considerada pela medicina uma doença crônica causada por alterações químicas no cérebro que levam o indivíduo a consumir uma substância compulsivamente mesmo tendo conhecimento da gravidade da pratica e de suas consequências. Já o termo usuário se refere ao sujeito que consome, independente da frequência.

O fato é que, quando nos deparamos com estas pessoas, nos enchemos de perguntas e dúvidas que parecem não ter respostas. Desistindo de procurá-las, pensamos: não vou julgar. Tenho filhos e a gente nunca sabe!

O que motiva uma pessoa a consumir drogas? Devo isolar ou acolher? Qual a incidência para o crime? A procura por esse tipo de substâncias se dá por fatores diversos, cada um sob a individualidade do sujeito, seja exclusão social, ausência de perspectiva de trabalho, estudo, melhorias no padrão de vida, conflitos familiares, desilusões amorosas, tentativa de fugir de uma realidade frustrante, bem como por simples prazer e diversão (no caso de adolescentes).

Em consequência, muitos crimes são cometidos, principalmente por aqueles que já têm propensão a desenvolver Transtornos Mentais, mesmo antes da descoberta da droga, como infrações contra o patrimônio, pequenos furtos, homicídios, dentre outros, seja como um meio de adquirir dinheiro para comprar drogas, ou consequência do uso, aumentando a agressividade e ocasionando delírios.

O que ainda não está esclarecido para a sociedade é que neste contexto não cabe o julgamento. Estes indivíduos, mergulhados num universo que parece sem saída, merecem o esforço dos familiares, amigos e poder público para recuperá-lo. Nenhum caminho é sem volta se todos trabalharem juntos e, cada um, pondo-se no lugar do outro, a fim de compreender sua dor e ajudar a saná-la.

Seja no caso do vício, da dependência e do estágio criminoso da doença, buscar ajuda profissional é fundamental. O tratamento é longo e contínuo, mas com o apoio da família, dos amigos e compreensão da sociedade, o índice de sucessos nos tratamentos contra o uso abusivo de drogas só tende a aumentar.

Faça sua parte! O primeiro passo é a empatia.

Laís Aparecida – Psicóloga Clínica, Pós-graduanda em Criminologia e Psicologia Investigativa Criminal. Atendimento Psicológico em Araçagi, na Prime Clin, e João Pessoa.
Agende sua consulta através dos contatos: (83) 99896 6512
Email: laispsicologia@outlook.com.
Instagram: @psicologa.lais
Da Redação/Portal Araçagi
Share.